A SICPA reconhece a condenação pelo Ministério Público Suíço (OAG) por “deficiências organizacionais”, mas discorda de sua fundamentação

Compartilhe este post

LAUSANNE, Suíça, April 27, 2023 (GLOBE NEWSWIRE) — A investigação do OAG contra a SICPA, iniciada em janeiro de 2015, chegou ao fim. O veredito foi a condenação da empresa por ” deficiências organizacionais”,“. Embora se trate de ações antigas, sem consentimento da empresa e contra o seu interesse, a SICPA toma a medida desta sanção mas discorda da sua fundamentação devidoàinexistência de medidas penais nos países onde se alegam que as infrações foram cometidas. Desde então, a SICPA estabeleceu um forte departamento de conformidade para garantir que as atividades realizadas em seu nome sejam realizadas de acordo com a ética empresarial e o mais alto grau de integridade. 

Após mais de 8 anos de tramitação, o OAG concluiu finalmente a sua investigação e produziu os termos de um despacho sancionatório que sancionou a SICPA por atos de “deficiências organizacionais” de 2008 a 2015. Em sua declaração suplementar, o OAG esclarece: “A responsabilidade corporativa não significa que a SICPA SA tenha cometido esses delitos perpetrados por ex-funcionários ou consultores, nem que os tenha desejado ou aceitado. Desde então, a SICPA SA tem voluntária e totalmente corrigido esta deficiência organizacional.

A SICPA sustenta, como tem feito ao longo da sua colaboração no processo, que repudia categoricamente as condutas antiéticas, que não tinha conhecimento de tais atos antes de serem notificados e que assim que foram levados ao seu conhecimento, a SICPA aplicou sanções aos responsáveis. Além disso, no Brasil, os indivíduos cujas condenações obrigaram a SICPA a assinar um acordo de leniência em 2021 foram absolvidos em 8 de junho de 2022. Nos outros dois países referidos na decisão do OAG, a SICPA jamais foi processada ou sequer notificada de qualquer crime.  

A incerteza de longo prazo em que esse procedimento colocou a SICPA obrigou a empresa a não se opor a essa decisão. A reputação da SICPA, manchada por denúncias de práticas ilícitas sistêmicas, investigações em vários países e até mesmo a responsabilidade pessoal de seu CEO Philippe Amon, totalmente inocentado pela investigação do OAG, exigia o encerramento desse processo prejudicial. A SICPA lamenta que a falta de organização interna possa ter levado a ações consideradas pelo OAG como antiéticas. Essas deficiências organizacionais foram sanadas através de uma ampla reestruturação do departamento de conformidade, para prevenir violaçõesàética empresarial e. 

Desde 2021, a SICPA é uma das primeiras empresas do setor a obter a certificação ISO 37001:2016 por seus sistemas de conformidade, integridade e proteção contra a concorrência. A SICPA também é membro credenciado da Banknote Ethics Initiative, que promove práticas comerciais éticas e responsáveis em todo o mundo. Philippe Amon, presidente e CEO da empresa, afirma: “A conformidade com a lei e a integridade nos negócios não são opcionais. Eles são cruciais como base para a confiança, que está no cerne do que fazemos.” 

Ao se aproximar de seu centenário, a SICPA e seus milhares de funcionários podem se concentrar totalmente em sua missão: proteger os interesses do governo e dos clientes do mercado que confiaram em suas tecnologias físicas e digitais para combater o comércio ilícito, com o reconhecimento de décadas das principais instituições internacionais. 

Contato com a Imprensa

Relações com a Imprensa SICPA
[email protected]
Tel +41 21 627 55 55

Sobre a SICPA

Líder de mercado em tintas de segurança e fornecedora líder de soluções seguras para autenticação, identificação, rastreabilidade e cadeia de suprimentos, a SICPA é uma parceira de longa data que conta com a confiança de governos, bancos centrais, impressoras de alta segurança e demais atores do mercado. Todos os dias, governos, empresas e milhões de cidadãos confiam em sua experiência, que combina recursos discretos baseados em materiais e tecnologias digitais, para proteger a integridade e o valor de suas moedas, identidades pessoais, documentos de valor, serviços eletrônicos governamentais, além de produtos e marcas. Fiel ao seu propósito de possibilitar a confiança através da inovação constante, a SICPA visa promover uma economia de confiança em todo o mundo, onde transações, interações e produtos nos mundos físico e digital se baseiam em dados protegidos, não falsificáveis e verificáveis.

Fundada em Lausanne em 1927, com sede na Suíça e operando nos cinco continentes, a SICPA emprega cerca de 3.000 pessoas.

Mais sobre a SICPA : https://www.sicpa.com/sicpa-overview

Ligação para o declaração suplementar do OAG sobre a condenação do SICPA por deficiências organizacionais


Primary Logo

GLOBENEWSWIRE (Distribution ID 1000806731)

Confira outras notícias: