Bruxismo pode afetar pacientes durante o dia

Compartilhe este post

Segundo a ICSD (The International Classification of Sleep Disorders – em português, Classificação Internacional de Distúrbios do Sono), o bruxismo é um distúrbio do movimento estereotipado caracterizado pelo apertar ou ranger dos dentes. Podendo ocorrer no período diurno (vigília) ou noturno (bruxismo do sono), o bruxismo pode levar ao desgaste anormal dos dentes, dano ao tecido periodontal ou dor na mandíbula.

Os sons produzidos pela fricção dos dentes geralmente são percebidos por alguém que é próximo do paciente. O distúrbio é normalmente relatado durante o  atendimento médico para eliminar os sons perturbadores, embora os primeiros sinais do distúrbio possam ser reconhecidos por um dentista. De acordo com a OMS (Organização Mundial da Saúde), o bruxismo acomete 30% da população mundial. No Brasil, 40% das pessoas sofrem com o distúrbio, segundo a ABO (Associação Brasileira de Odontologia). 

O bruxismo em vigília (diurno) é caracterizado por contatos dentários excessivos no decorrer do dia e/ou contrações dos músculos da mastigação, gerando estresse muscular e dores. Já o bruxismo do sono é caracterizado pelo ranger ou apertar dos dentes durante a noite e, geralmente, está associado a micro despertares, ou seja, o paciente “acorda” algumas vezes durante a noite devido ao distúrbio. 

Para o Dr. Lucas Simino, mestrando em DTM (Disfunções Temporomandibulares), a identificação do bruxismo do sono é feita também pelo próprio relato do paciente durante as consultas, que percebe que acorda com o ranger de dentes. “Além disso, podemos avaliar o bruxismo através de questionários direcionados, exames de polissonografia e avaliação das estruturas dentárias e musculares”, completa. 

Placa é tratamento para bruxismo

O bruxismo por ser caracterizado por diversos fatores, entre eles, psicológicos, motores e musculares, não possui tratamento definitivo, comenta o Dr. Lucas Simino, mestrando em odontologia/DTM pela UnB (Universidade de Brasília). De acordo com o especialista, os dentistas possuem alguns recursos para evitar os efeitos prejudiciais que o bruxismo causa a longo prazo, sendo um deles, a placa oclusal ou placa de bruxismo. 

“A placa oclusal tem como função proteger os dentes dos eventuais desgastes que o bruxismo, tanto em vigília quanto do sono, proporciona”, explica. Segundo Simino, a placa pode ser confeccionada em acrílico ou até mesmo em impressoras 3D, com resinas biocompatíveis e atóxicas. “Essas placas são confeccionadas sob medida, de acordo com as características de mordida de cada paciente”, completa. 

Técnicas também são utilizadas em outras terapias, como estratégias de mudança de comportamento para diminuição do stress a partir da diminuição ou cessão do uso de nicotina, bebidas alcoólicas, cafeína e substâncias narcóticas. 

Evoluções no tratamento do bruxismo

Estudos mais recentes mostraram que o bruxismo é uma condição multifatorial, ou seja, depende de vários fatores para ocorrer em maior ou menor grau e intensidade. A Dra. Luciana Simino comenta que desta forma, os dentistas podem observar que o bruxismo está muito mais relacionado com condições psicológicas do paciente do que com condições dentárias ou musculares individualmente. 

A especialista em ortodontia conta que os métodos de diagnóstico do bruxismo estão cada vez mais modernos e englobam várias áreas de atuação. E destaca, além da odontologia, os campos da psicologia, fisioterapia, medicina do sono, entre outros meios. 

Vale ressaltar que cabe ao profissional da odontologia avaliar minuciosamente o paciente e, por muitas vezes, trabalhar em conjunto com outros profissionais da saúde para direcionar o melhor tratamento.

Para saber mais, basta acessar: www.clinicasimino.com.br

Confira outras notícias: