Consumo de chocolate prejudica a saúde dos pets

Compartilhe este post

Com a chegada da Páscoa, aumenta o consumo de guloseimas, com isso, aumentam também as chances de que animais sejam intoxicados por conta do consumo de chocolate. Este produto para consumo humano jamais deve ser oferecido aos cães e gatos, pois ele possui teobromina e cafeína, que são extremamente perigosos para eles.

O grau da intoxicação varia de acordo com o tamanho do animal, a quantidade e a qualidade do produto ingerido. Quanto maior a quantidade de cacau, ou seja, mais amargo o chocolate, pior serão os sintomas e a gravidade da intoxicação.

“Os sintomas não são imediatos e podem iniciar após um intervalo de seis a 12 horas. As reações podem perdurar por até dois ou três dias culminando até em hemorragia intestinal grave”, salienta Vininha F. Carvalho, editora da Revista Ecotour News.

Flavio Silva, mestre em nutrição de cães e gatos, esclarece que apesar dos casos letais serem mais raros, existe alta incidência de indisposições gastrointestinais, especialmente em animais pequenos e jovens, devido à quantidade de toxina em relação ao peso do pet. “Além do risco de intoxicação e do mal-estar, o chocolate pode acarretar outros males ao organismo do animal, como a obesidade e suas complicações”, alerta.

A teobromina pode provocar crises alérgicas, aumento da pressão arterial, taquicardia, arritmia, tremores e convulsões e dependendo da quantidade, o cachorro pode entrar em coma e morrer, esclarece a diretora geral da rede de hospitais veterinários 24h, VET Popular, Caroline Mouco.

É importante ficar atento e não deixar os ovos de páscoa e bombons em locais acessíveis a cães e gatos. Os pets podem se sentir atraídos pelo cheiro, pela embalagem e comer sem que os tutores percebam. Além disso, é preciso orientar as crianças para que não dividam a guloseima com o animal de estimação.

Em caso de ingestão acidental, a recomendação é levar o animal para uma clínica veterinária o mais rápido possível. O tratamento se dá com muita hidratação, uso de protetor gastrointestinal, antitóxico e, quando a ingestão é recente, pode-se tentar a lavagem estomacal.

O mercado pet está preparado para oferecer alimentos de qualidade para todos os tipos de animais, espécies, idades e características específicas. Os alimentos específicos para animais de estimação são feitos com produtos frescos e com componentes, vitaminas e tudo mais que eles precisam na quantidade certa para garantir o total funcionamento do seu organismo.

“Se a ideia for presentear os pets com guloseimas alusivas à data comemorativa, opte pelas fabricadas com ingredientes próprios para seu consumo. O mercado oferece muitas opções, incluindo chocolates sem cacau e açúcar e petiscos em formato de cenoura e coelho. Escolher um alimento de qualidade é garantir que o animal estará sempre saudável e sem o risco de ser intoxicado, inclusive consumindo um ovo de páscoa feito especialmente para eles”, conclui Vininha F. Carvalho.

Confira outras notícias: