FGV-Ibre: PIB do agronegócio deve chegar a 8% em 2023

Compartilhe este post

O PIB (Produto Interno Bruto) do agronegócio brasileiro deve chegar a 8% em 2023, após a retração de 2% registrada em 2022. A projeção é do FGV-Ibre (Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas). Até então, a maior expansão do setor foi registrada em 2017 (14,2%). O Santander, por sua vez, projetou o crescimento de 0,3% para este ano e de 7,5% para 2024, conforme publicação da Exame.

A safra de grãos, cereais e leguminosas deve chegar a 293,6 milhões de toneladas em 2023 – um avanço de 11,8% em relação a 2022, segundo o prognóstico de produção agrícola do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). 

O agro é um dos principais setores da economia do país. Entre 2002 e 2022, o PIB agrícola do País saltou (em números deflacionados) de US$ 122 bilhões para US$ 500 bilhões, como mostra uma publicação da InfoMoney.

O Brasil é considerado um dos maiores produtores e exportadores de alimentos e outros produtos agrícolas do mundo por conta das culturas do açúcar, algodão, arroz, banana, cacau, café, carne bovina e suína, frango, hortaliças, laranja, leite, milho, soja e trigo.

Andreia Mazário, responsável pela MazaMendes – empresa que atua com a venda de peças agrícolas para colheitadeiras, tratores, plantadeiras e pulverizadores – avalia de forma positiva a tendência de crescimento do agronegócio para o ano de 2023. “A expectativa é promissora e todos estamos esperançosos com a retomada do agronegócio no Brasil”, diz.

Para Mazário, o crescimento exponencial e a previsão de que o setor supere os números dos últimos anos podem ser explicados pelo consumo e pelo cultivo.

“O brasileiro, além de manter um forte incentivo no agro para o próprio país, também se destaca pelo fornecimento ao exterior”, reporta. Com efeito, as exportações do agronegócio chegaram a US$ 159,09 bilhões (R$ 835,81 bilhões) em 2022 – um avanço de 32% em relação ao ano precedente, segundo a SCRI (Secretaria de Comércio e Relações Internacionais) do Ministério da Agricultura e Pecuária. As vendas externas representaram 47,6% do total exportado pelo Brasil no último ano.

O complexo soja foi o setor com maior destaque em 2022 (US$ 60,95 bilhões – R$ 320,21 bilhões), seguido por carnes (US$ 25,67 bilhões – R$ 134,86 bilhões), produtos florestais (US$ 16,49 bilhões – R$ 86,63 bilhões); cereais, farinhas e preparações (US$ 14,46 bilhões – R$ 75,97 bilhões) e complexo sucroalcooleiro (US$ 12,79 bilhões – R$ 67,19 bilhões). 

Para mais informações, basta acessar: https://pecas-agricolas.com/

Confira outras notícias: