Previous
Next
Previous
Next

Fim do cadeado do Chrome: site seguro pode ser encontrado

Compartilhe este post

No início de maio, o Google anunciou que iria remover o cadeado do Chrome da barra de endereços. O ícone, que por muito tempo indicou que um site era seguro, será descartado com o lançamento da atualização 117 para o navegador e trocado por outro sistema que não necessariamente indica a confiabilidade de um site.

Entretanto, o próprio Google revela que esse símbolo já não representa um alto grau de confiabilidade, pois até mesmo sites falsos podem apresentar um cadeado e usar “https” em seu endereço. Com isso, a dúvida que fica no ar é: como saber se uma página é realmente segura?

Para encontrar essa resposta, Igor de Andrade, especialista em segurança digital da HostGator, dá algumas dicas de como agir.

1 – Checar do endereço do site

A primeira dica importante é verificar o endereço do site visitado, especialmente se encontrar uma URL encurtada. Muitos golpes de phishing vistos atualmente utilizam esse mecanismo para induzir diversas pessoas a acessar uma página falsa. “Sempre cheque a credibilidade do site ou da loja, evite links encurtados de promoções. Além disso, tenha cuidado com promoções enviadas por e-mail”, explica Andrade.

A troca de caracteres também é algo bastante comum. Um exemplo prático: dificilmente alguém notaria uma diferença entre “lojadojoao.com.br” e “Iojadojoao.com.br”. Porém, no primeiro endereço a palavra “loja” está escrita com “l”, enquanto na segunda temos um “i” maiúsculo.

Se o endereço em questão já foi acessado alguma vez, vale recorrer ao recurso de autocompletar do seu navegador ou procurar pela própria página no Google – afinal, a empresa dificilmente vai indicar um site falso nas primeiras posições em suas pesquisas.

2 – Pesquisar a reputação da página

Se a página visitada é de uma loja, vale observar se ela está presente no Google Meu Negócio, bem como as avaliações e comentários deixados pelos clientes. Pode parecer pouco, mas a presença de mensagens de outras pessoas (e o conteúdo delas) já pode aumentar o grau de confiança de um site.

Outra possibilidade é procurar pelo nome do site no Reclame Aqui e até mesmo nas redes sociais. Se estiver diante de uma cilada, certamente alguém já fez uma reclamação no Twitter ou no Facebook.

“No próprio site do Reclame Aqui, faça a pesquisa pelo nome da loja desejada e clique na opção ‘Ir para o Site’, possibilitando validar se o site é o correto e o mesmo que você clicou anteriormente”, explica o especialista em segurança digital.

3 – Observar os selos de segurança

Mesmo com o fim do cadeado do Chrome, há outro recurso que ajuda a indicar se um site é seguro: a presença dos selos de segurança. Esses selos são geralmente encontrados no final das páginas e podem ajudar a comprovar a segurança de um site. A HostGator, por exemplo, oferece o SSL (que ajuda a validar um domínio e realiza a transmissão de dados criptografados) e o SiteLock (para proteger a página contra ameaças e realizar verificações diárias contra malwares) como ferramentas de certificação. 

“Acessar um site falso é problemático, já que muitas vezes quem cria essas páginas pode ter a intenção de instalar um keylogger em sua máquina para roubar dados”, alerta Andrade. Essas são as principais formas de verificar a segurança de um site, mas não as únicas. Em todo caso, se a página estiver oferecendo a venda de algum produto ou serviço, nunca finalize a transação caso tenha alguma dúvida sobre a veracidade das informações.

Confira outras notícias: