Influenciadores digitais mudam relação entre marcas e consumidores

Compartilhe este post

Uma das soluções encontradas pelas empresas para humanizar a relação de produtos e marcas com os clientes é o investimento no trabalho com os influenciadores digitais. E o Brasil é o campeão mundial quando o assunto é a parceria destes profissionais com as marcas para a divulgação no Instagram. 

Segundo pesquisa da Nielsen, são 10,5 milhões de influenciadores no Instragram, cada um com pelo menos 1 mil seguidores. A pesquisa feita entre 2021 e 2022 considerou as postagens feitas no Instagram, Tik Tok e Youtube. Somando as três redes sociais, o Brasil só perde para os Estados Unidos que contabilizam 13,5 milhões de influenciadores. Ainda segundo a Nielsen, o investimento em marketing digital, que inclui o trabalho com os influenciadores, cresceu mais de 50% no ano passado.

A atriz Stephanie Paula, que também passou sete anos na produção do programa do Faustão, é um dos exemplos de como os influenciadores podem trazer uma nova comunicação entre as marcas e os consumidores. “Com as experiências que tenho na produção de programas de televisão e atuação em peças de teatro, consigo apresentar soluções diferenciadas com foco numa comunicação mais leve, que sai um pouco do olhar só no produto e aproxima o consumidor dos valores da marca”, explica a influenciadora.

Em seu trabalho mais recente, ela conta que a proposta era renovar a relação de uma marca tradicional, com mais de 50 anos de atuação no mercado, com os seus clientes por todo o Brasil. Ela explica que o trabalho vai muito além de apenas mostrar a marca e seus produtos. “É preciso muito estudo e criatividade para sair do lugar comum. Neste momento, por exemplo, estou dedicada a fazer um trabalho para a rede de cafeterias Fran’s Café, que acabou de lançar uma nova loja conceito em São Paulo, a Fran’s Café Origem. Então precisei estudar a história da marca, entender os valores que foram cultivados em meio século de trabalho. Há uma grande responsabilidade também por trás de uma foto ou vídeo divulgado. Tudo é muito pensado, roteirizado e, claro, alinhado com as marcas”, acrescenta Stephanie.

Neste cenário, outra percepção apontada na pesquisa é de que um dos grandes desafios é exatamente encontrar o influenciador que se encaixa ao perfil e às diretrizes das empresas e marcas. Por isso, na maioria dos casos, o trabalho é criterioso e com uma aproximação gradativa entre determinada marca e o influenciador escolhido. Há até mesmo cursos para quem procura ser influenciador. O que está certo é que este mercado cresce e é certamente terreno fértil para novas soluções na comunicação com consumidores.

Confira outras notícias: