Mobilidade: prática pode evitar lesões e doenças ortopédicas

Compartilhe este post

A prática de atividades físicas é comumente indicada por profissionais da área da saúde para uma melhor qualidade de vida. De acordo com Ministério da Saúde, exercitar-se pode favorecer a prevenção e o tratamento das doenças crônicas como: problemas cardíacos, diabetes, câncer e depressão. 

No Brasil o número de adultos que praticam algum exercício físico cresceu em 6,4%, de acordo com o relatório “Vigilância dos fatores de risco e proteção para doenças no Brasil”, também divulgado pelo Ministério da Saúde. O levantamento mostrou que o crescimento comparado de 2009 a 2021 ocorreu em ambos os sexos. O crescimento entre os homens, por exemplo, foi de 39,8% em 2009 para 43,1% em 2021, ao passo que, entre as mulheres, foi de 22,2% para 31,3% no mesmo período.

Para iniciar a prática de exercícios, independentemente da modalidade, é indicado adotar alguns cuidados para evitar lesões e o surgimento de doenças ortopédicas. Antes da prática de atividades físicas, realizar exercícios simples de mobilidade, que é a capacidade da articulação de realizar um movimento de pequena ou grande amplitude, pode auxiliar na prevenção destes problemas. 

O ortopedista Marco Aurélio S. Neves, pontua que “a mobilidade articular tem a função de melhorar o padrão de movimento que realizamos tanto nas atividades diárias como na prática do esporte, por meio de movimentos simples como o agachar, empurrar, saltar, entre outros”.

Essa articulação possui grande importância e permite os movimentos de flexão, extensão, abdução, adução, rotação interna, externa e circundução, além de suportar o peso do tronco e dissipar as forças para os membros inferiores. 

Alongamento x Mobilidade

Além da mobilidade, existem também exercícios de alongamento. Apesar de parecidas, as duas modalidades possuem características diferentes e podem ser aplicadas juntas ou separadamente.

O alongamento possui objetivo de aumentar ou prezar pela manutenção da flexibilidade realizando o estiramento das fibras musculares. Já a mobilidade articular tem o objetivo de expandir a amplitude dos movimentos. É possível, por exemplo, realizar exercícios de mobilidade antes das práticas físicas e treinos para melhor desempenho e amplitude, e ao final deles, exercícios de alongamento para relaxamento da musculatura. 

Algumas atividades podem auxiliar na melhora da mobilidade articular, dentre elas: pilates, caminhadas, alongamentos ou qualquer tipo de exercício físico para fortalecimento muscular e alongamento.

O Dr. Neves explica que os movimentos de mobilidade estimulam a produção do líquido sinovial, lubrificando e auxiliando no deslizamento de uma articulação sobre a outra, reduzindo a chance de impacto e processos degenerativos e de dor: “Além desse componente, pode haver a diminuição da tensão excessiva e diminuição as sobrecargas e tensões nas articulações, melhorando assim, a função motora e corrigindo os desequilíbrios musculares”.

O médico ainda conclui que a prática pode trazer diversos benefícios para além da amplitude dos movimentos: “A mobilidade articular pode ajudar a corrigir algumas disfunções articulares, manter a saúde das articulações, tendões e ligamentos, prevenir lesões, relaxar os músculos, melhora da consciência corporal e do controle postural”. 

Para saber mais, basta acessar: www.drmarcoaurelio.com.br

Confira outras notícias: