Otimismo empresarial impulsiona setor de outsourcing de TI

Compartilhe este post

Os últimos anos foram desafiadores para as empresas, sobretudo, para os negócios brasileiros que tiveram que enfrentar os impactos econômicos impulsionados pelo período de isolamento social. Entretanto, o estudo divulgado pela GoDaddy revela que 92% dos empreendedores brasileiros relatam estar confiantes sobre o crescimento de sua renda em 2023. Para a Arklok, empresa especializada no outsourcing de infraestrutura de TI, o otimismo também pode ser refletido na procura pelos serviços de locação de equipamentos.  

Em comparação com o primeiro trimestre de 2022, a Arklok teve um aumento de 53% na contratação das soluções ofertadas. O crescimento representa uma mudança no comportamento de consumo dos brasileiros e, também, é reflexo de um mercado mais aquecido.  

“A digitalização dos processos empresariais e a expectativa de crescimento impactam diretamente na procura pelos nossos serviços. Além disso, já existe um movimento natural de crescimento dentro do setor de outsourcing, justamente pela facilidade que esse modelo de negócio oferta, além da própria economia de não precisar arcar com os custos de aquisição de um parque tecnológico de ponta”, explica Andrea Rivetti, presidente da Arklok.  

De acordo com um relatório da ResearchAndMarkets.com, em 2020, o mercado global de outsourcing de infraestrutura de TI foi avaliado em US$ 305,9 bilhões e espera-se que cresça a uma taxa composta de crescimento anual (CAGR) de 4,1% durante o período de previsão de 2021 a 2026. O relatório cita vários fatores que impulsionam o crescimento desse mercado, incluindo a necessidade de reduzir custos, aumentar a eficiência operacional e adotar novas tecnologias, como a computação em nuvem e a inteligência artificial. 

Ainda de acordo com o levantamento da GoDaddy, o Brasil é o terceiro país com a classificação mais alta sobre a importância da presença online para o crescimento dos negócios (76%), atrás apenas do México (77%) e da Índia (82%).  

Entretanto, a necessidade de fortalecer a presença digital também é acompanhada pela preocupação com a cibersegurança. Dos entrevistados, 86% no Brasil e 83% no México acreditam que as pequenas empresas estão mais vulneráveis aos ataques cibernéticos. Os respondentes de ambos os países relatam a exposição dos dados de seus clientes e a perda da confiança dos mesmos entre os impactos mais prováveis e perigosos para a saúde dos negócios. 

“Com uma sociedade cada vez mais conectada, as empresas demandam cada vez mais por bons sistemas de cloud e cibersegurança. No entanto, implementar e gerenciar essas frentes de forma autônoma é muito custoso e trabalhoso. Por isso, as cartelas de soluções que incluem essas tecnologias são tão procuradas e priorizadas pelas companhias de todos os tamanhos, incluindo os pequenos e médios negócios”, ressalta a presidente da Arklok.  

Com o mercado mais otimista e mais conectado, a expectativa é que o outsourcing de infraestrutura de TI tome ainda mais corpo dentro do cenário nacional.  

“Com certeza, nossa participação no setor já é bem significativa. No entanto, em comparação com a demanda de outros países ainda existe um gap nacional que deve ser preenchido cada vez mais por essa necessidade de contar com excelentes equipamentos, tecnologias de armazenagem e gerenciamento e cibersegurança. Esse otimismo dos empreendedores pode significar uma ação em cadeia que deve repercutir positivamente no desenvolvimento nacional como um todo”, finaliza Rivetti.  

Confira outras notícias: