Previous
Next
Previous
Next

Agronegócio inicia tratativas com comunidades rurais

Compartilhe este post

O Governo Municipal, por meio da Secretaria do Agronegócio (Sagri), começou nesta semana, no bairro da Baixa, a ouvir as principais reivindicações e sugestões das comunidades rurais no Município.

A reunião, nesta quinta (26), foi na Escola Municipal Sebastião Antônio Leal e atraiu parcela de moradores da Comunidade da Baixa. Pela Prefeitura, além da Sagri, participaram representantes da Secretaria de Defesa Social, Guarda Municipal, Codau, Cohagra, do programa Todos por Uberaba, e das instituições Emater, Instituto Ambiental e Sindicato Rural, além do vereador Paulo César Soares.

Segundo o secretário Agnaldo Silva, do Agronegócio, estas reuniões nas comunidades rurais foram determinadas pela prefeita Elisa Araújo a fim de ouvir os anseios de seus moradores nos mais diversos segmentos. “Daí a razão da presença de boa parte do estafe da Prefeitura aqui. Vamos ouvir e procurar resolver as demandas. O que for de Pastas que não enviaram representantes, o assunto será encaminhado e cobrada solução ou uma resposta condizente com o questionamento”, ressaltou.

Em nome da comunidade, a presidente da Associação de Moradores da Baixa, Joana D’arc Marques Teófilo dos Santos, elencou os principais pedidos dos moradores, como ônibus para transportar jovens que fazem cursos técnicos e de graduação na cidade, regularização dos 102 imóveis da Baixa. Houve outras reivindicações, como segurança no campo com presença da GM na comunidade, melhoria da internet e abertura de uma feira livre na localidade, e a conclusão do campo de futebol.

A secretária da Associação, Viviane Aparecida de Freitas, disse que os adolescentes foram incentivados a fazer cursos profissionalizantes na cidade, passaram e, desde então, ou os pais bancam ou eles deixam os estudos. “Eles precisam do auxílio com ônibus escolar ou vale-transporte”, pediu. Por sua vez, o morador Antônio Chaves solicitou para que o transporte coletivo passe mais cedo na Baixa, hoje 7h40, visando facilitar a vida de quem trabalha na cidade.

Sobre a feira, o titular da Sagri orientou o grupo interessado que para que defina local, dia e horário, que os técnicos da Pasta darão apoio na estruturação. A meta dos moradores é de realizar o evento no domingo pela manhã, na praça. Agnaldo Silva aproveitou também para destacar o incentivo da Sagri aos agricultores familiares, colocando à disposição desde serviços de preparo do solo, programa de inseminação de rebanho bovino gratuito, horta comunitária e assistência técnica, além de busca de recursos federais para projetos rurais eficazes.

Quanto à regularização dos imóveis, o assessor de Projetos da Cohagra, Paulo Sartorato, disse que o atual governo herdou muitos problemas de gestões anteriores a respeito, mas que o processo está em andamento com duas vertentes de solução. “Uma, com topografia pelo Município e outra, por meio de plano do governo federal que além de regularizar, irá proporcionar melhorias em 20% das casas. O que sair primeiro, será executado”, informou. Sobre a presença constante da Guarda Municipal na Baixa, o superintendente de Defesa Social, tenente Carlos Alberto Barbosa Siqueira, disse que corporação está sendo, primeiro, equipada e treinada, para depois sair em patrulhamento seguro no meio rural.

Todos os questionamentos e reivindicações foram anotados pela assessora da Sagri e serão direcionados às Pastas para os devidos encaminhamentos e soluções, bem como resposta à comunidade num prazo máximo de 15 dias.  

Na próxima semana serão ouvidas as comunidades de Santa Fé, São Basílio e Ponte Alta.

Confira outras notícias: