Previous
Next

Agronegócio intensifica preparo de solo para pequenos produtores

Compartilhe este post

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Com a expectativa da chegada do período chuvoso, crescem as solicitações, na Secretaria do Agronegócio, de serviços de máquinas para o preparo do solo. A prioridade, enfatizou o titular da pasta, José Geraldo Celani, é para os pequenos produtores da Agricultura Familiar.

Até agora, de janeiro a setembro, a Sagri realizou 1.400 horas de trabalhos em preparo do solo no Município. No período, segundo o chefe do Departamento de Produção Agropecuária, Raoni Terra, cerca de 140 produtores foram contemplados com serviços de tratores que incluem gradagem, formação de canteiros para a horticultura e compactação de silagem, dentre outros.

Um dos beneficiados, recentemente, foi o pequeno produtor Luiz Gustavo dos Santos. Com área próximo ao Catetinho, ele recebeu a equipe da Patrulha Rural que executou a gradagem de 16 hectares. No local, Luiz Gustavo informou que irá plantar milho consorciado com capim braquiária. O produtor avaliou como positiva esta primeira parte do serviço desenvolvida pela Prefeitura.

De acordo com Raoni, com a aproximação das chuvas, cresceram sobremaneira as solicitações para preparo de solo na Sagri. “Temos mais de 400 horas máquinas solicitadas para este serviço. Estamos intensificando os trabalhos com intuito de atender todos até o final do ano”, ressaltou.

O secretário do Agronegócio, José Geraldo Celani, fez questão de frisar que a prioridade número um do Governo Municipal, desde o começo deste ano, é para atender os pequenos produtores. Ainda mais agora, ressaltou, que avolumam os pedidos de preparo de solo na Sagri. “É fundamental que o serviço público seja destinado para ajudar os agricultores familiares e pequenos horticultores que não dispõem de recursos para tanto, mas que, por outro lado, contribuem significativamente na cadeia produtiva de alimentos”, argumentou Celani.

O serviço de preparo de solo é subsidiado pela Prefeitura por meio do Fundo Municipal de Máquinas (Fundomaq). O pequeno produtor interessado faz o cadastramento na Secretaria do Agronegócio e a partir do agendamento ele recebe uma Guia de Arrecadação Municipal (GAM) com o respectivo valor do total da hora máquina solicitada. A quitação é feita através de depósito do produtor em conta específica do fundo nas casas lotéricas ou agências da Caixa Econômica Federal. A hora trabalhada, desde o início da atual gestão, permanece em R$75 a hora trabalhada do trator grande e R$50, a do pequeno.

Confira outras notícias: