Codau contrata estudo e projetos para dobrar capacidade da ETE Francisco Velludo

Compartilhe este post

A Estação de Tratamento de Esgoto Francisco Velludo (ETE Rio Uberaba) irá dobrar a sua capacidade de tratamento. A Companhia Operacional de Desenvolvimento, Saneamento e Ações Urbanas (Codau) contratou empresa especializada para elaborar o estudo de concepção, projetos básico e executivo e estudo ambiental para ampliação e melhorias desta ETE e adequação do emissário Córrego das Lajes, que transporta os esgotos até à estação. A empresa vencedora da licitação, na modalidade pregão eletrônico, é a MKMBR Engenharia Ambiental.

“Estamos planejando esta ampliação para atender à demanda de crescimento de Uberaba. A ETE Francisco Velludo é nossa principal estação de tratamento, com uma cobertura de 74% da cidade, ou seja, toda a bacia de contribuição do rio Uberaba. A estrutura atual está operando perto de sua capacidade máxima e precisamos redimensioná-la”, afirmou o presidente da Codau, José Waldir de Sousa Filho. A ETE entrou em operação em 2009.

De acordo com ele, para ampliar sua capacidade a ETE passará a utilizar uma nova tecnologia de tratamento, com lodos ativados. Neste sistema, o próprio lodo que hoje é produzido no tratamento entra em recirculação nos tanques para aumentar a quantidade de degradação da matéria orgânica, potencializando o processo. Atualmente, o tratamento é feito no sistema de aeração, sem utilizar esta recirculação.

A nova tecnologia requer uma área menor para tratamento, por isso não será necessário ampliar a área física da ETE para dobrar a sua capacidade. “Será necessário fazer intervenções nos tanques de tratamento e, também, teremos mais equipamentos mecânicos e hidráulicos dentro deste processo. Mas, tudo isso será indicado pelo estudo de concepção e pelos projetos contratados, que também irá definir o cronograma de transformação da ETE”, explicou José Waldir.

Atualmente, a ETE Francisco Velludo tem uma capacidade média de tratamento de 465 litros por segundo de esgoto. Com a implantação da nova tecnologia, a vazão média será de 804 litros por segundo. Já o emissário ‘Córrego das Lajes’, que transporta os esgotos por 8,6 km, margeando o córrego das Lajes e o rio Uberaba até chegar à ETE Francisco Velludo, também será objeto do estudo de sua capacidade instalada.

O investimento na contratação do estudo de concepção e nos projetos é de R$ 997 mil. A homologação do contrato foi publicada neste mês, no Porta-Voz, e o prazo de entrega pela empresa é de um ano.

Confira outras notícias: