Previous
Next

Dois presos por atear fogo em pastagens da região

Compartilhe este post

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Dois homens foram presos nesta quinta-feira, 16, acusados de atear fogo em vegetação em propriedades rurais na região de Uberaba, MG.

Segundo as informações repassadas à Folha Uberaba, o primeiro caso ocorreu no período da manhã na LMG 805, altura do KM 31, Zona Rural de Uberaba.

A polícia foi acionada com a informação de que um autor havia ateado fogo na mata nas proximidades do distrito de Ponte Alta, de posse de informações sobre as características do autor, a guarnição que deslocou de Uberaba, deparou com o autor na BR 262, saída de Ponte Alta.

Após abordagem, foi encontrado com o autor, uma sacola com roupas, uma caixa de fósforos e uma carteira de cigarros.

Uma testemunha, informou que o autor havia pedido carona em um ônibus transporte coletivo e, após a negativa do motorista, ele juntou madeiras e lixo na mata e ateou fogo.

O autor, de 30 anos, negou a acusação, disse ser andarilho e que é do estado de São Paulo e estava seguindo com destino a Uberlândia.

Ele declarou ter dormido no pátio de um posto que fica nas proximidades.

O Corpo de Bombeiros Militar foi acionado e combateu as chamas.

Ainda conforme repassado à Folha Uberaba, vários proprietários de fazendas na região disseram ter suas propriedades atingidas pelo fogo, com grandes prejuízos, ainda não havia sido dimensionado o tamanho total da área atingida.

Autor encaminhado à delegacia.

Outro – Em outro caso, registrado no início da noite as margens da BR 050, na fazenda São Geraldo, os administradores da propriedade declararam a polícia terem flagrado o autor de 46 anos, atear fogo na pastagem.

Segundo repassado à Folha Uberaba, as vítimas relataram que havia animais naquela área e precisaram ser remanejados.

As vítimas disseram ter tido grande dificuldade para controlar o fogo que destruiu cerca de 300 metros quadrados de pastagem.

O autor foi contido pelas próprias vítimas até a chegada da PM.

Ao ser questionado pelos militares, o autor declarou ser morador de rua e que costuma ficar naquela região, porém negou o crime. Autor encaminhado à delegacia.

Confira outras notícias: