Foragido acusado de homicídio é capturado pelo Tático Móvel

Compartilhe este post

Foto:
Suspeito foi preso em operação policial na Filomena Cartafina

Um publicitário acusado de homicídio que estava foragido da justiça há mais de 10 anos foi capturado pela Polícia Militar na área rural de Uberaba. O homem é suspeito de ter matado a esposa e também forjar as provas do crime.
De acordo com informações apuradas pela Folha Uberaba prisão aconteceu tarde de ontem na rodovia AMG-2595 (antiga avenida Filomena Cartafina), onde os policiais militares do Tático Móvel compareceram após trocas de informações com a Polícia Federal e levantamentos do Serviço Inteligência (SI) da Polícia Militar que informou sobre o paradeiro do homem acusado de matado a esposa no ano de 1994 na cidade de Londrina no Paraná. Segundo as investigações na época dos fatos a mulher foi localizada morta em um apartamento e ele tentou forjar as provas para parecer que o crime foi um suicídio, mas os familiares solicitaram exames no corpo no Instituto Médico Legal de Curitiba (PR) e foi constatado que a vítima foi morta por asfixia. Ainda segundo a polícia paranaense, e a primeira esposa desse homem também foi encontrada morta, mas não foram feitos exames detalhados no corpo a ocorrência foi com registrada como suicídio.
Os policiais fizeram rastreamento pela rodovia na área rural de Uberaba e viram o foragido em um veículo Volkswagen Gol. Eles fizeram a abordagem e após consultas na central de mandados e também no Centro de Operações da Polícia Militar (Copom) foi constatado que o homem tinham mandado de prisão expedido pela justiça Paranaense pelo crime de homicídio. Ao ser questionado, ele alegou que após o homicídio fugiu para o estado de São Paulo onde permaneceu por muitos anos e depois para Minas Gerais e estava residindo em Uberaba. Ele foi preso em flagrante levado até a delegacia e apresentada autoridade de Polícia Judiciária que que cumpriu a ordem a ordem judicial. Posteriormente o capturado foi encaminhado para a penitenciária Professor Aluízio Ignácio de Oliveira e permanece à disposição da Justiça.

Confira outras notícias: