Previous
Next
Previous
Next

Meio ambiente inicia tratativas para parceria com empresa de refratários

Compartilhe este post

A Secretaria de Meio Ambiente (Semam) iniciou tratativas com a empresa Magnesita Refratários Ltda. para realizar parceria de contribuição mútua. A proposta é a produção de mudas nativas no Horto Florestal para restauração e recomposição de áreas de APP e áreas degradadas  do entorno da mineração e da indústria. Em contrapartida, a empresa oferece reestruturação com equipamentos, insumos, além de mão de obra.

Segundo o secretário da Semam, Edno César da Silveira, a Secretaria foi convidada a participar da Audiência Pública sobre o Projeto de Renovação de Licença de Operação da Mina Bela Vista, localizada no Município. O evento foi realizado pela Superintendência Estadual de Meio Ambiente e organizado pela Magnesita. A solicitação foi feita pela Organização Não Governamental Associação para Gestão Ambiental do Triângulo Mineiro (Angá) e o Ministério Público do Estado de Minas Gerais. A comunidade afetada diretamente pela atividade também foi convidada a conhecer e discutir o estudo de impacto ambiental da empresa.

De acordo com Edno, a título de recomposição florestal e contrapartida em razão do impacto exercido pela atividade, especialmente nas áreas do entorno da mineração e da indústria, a empresa precisa fazer investimentos na área de meio ambiente. Desse modo, a proposta seria de a empresa investir no incremento do Horto Municipal, melhorando as instalações, estruturando a produção em maior escala, com equipamentos e mão de obra. Ele acredita que o projeto estará sendo iniciado no segundo semestre desse ano.

A expectativa inicial é produzir 20 mil mudas de espécies nativas do cerrado por ano. A chefe da Seção do Horto Florestal, Amanda Andrade, informou que será realizado um levantamento amplo das necessidades do Viveiro, seja de infraestrutura, mão de obra e veículos.

A Magnesita é a maior empresa de refratários (materiais de altíssima resistência) do mundo. Para a sua produção é necessária argila refratária calcinada que é retirada, no caso de Uberaba, da Mina Bela Vista, localizada em fazenda com o mesmo nome às margens da BR-050, Km 124, sentido Uberaba/Uberlândia. Após ser beneficiada, é encaminhada para o processo industrial na unidade localizada em Ponte Alta. Posteriormente é enviada para Contagem (MG) onde é transformada em refratário utilizado na indústria de aço e cimento, “Hoje a produção da argila de Uberaba é essencial para o ciclo de abastecimento da fábrica”, disse o coordenador ambiental de Mineração da Magnesita, Carlos Eduardo Rodrigues de Souza.

Junto à mineração, explicou, são necessárias recomposições do solo numa profundidade de 1m a 2,5m de profundidade, onde é retirada a argila para recuperação da vegetação. Além disso, são realizados monitoramentos hídricos e de qualidade do ar. Em Ponte Alta, o trabalho é de monitoramento da área florestal em torno do empreendimento, além da recomposição do entorno do ribeirão Ponte Alta.

Confira outras notícias: