Previous
Next
Previous
Next

Osteoartrite: ortopedista faz recomendações para controlar a dor e ter melhor qualidade de vida

Compartilhe este post

Também conhecida como artrose, a doença é mais prevalente em idosos e atinge cerca de 12 milhões de brasileiros.

A osteoartrite (ou artrose) é o tipo mais comum de dor e inflamação nas articulações e causa o desgaste da cartilagem que cobre as extremidades dos ossos e atua como uma almofada. Se muita cartilagem se desgastar, o osso esfrega contra o osso, causando lesões principalmente nos joelhos, quadris, ombros, mãos e coluna. As alterações articulares na osteoartrite causam dor, rigidez e problemas de movimento. De acordo com a Sociedade Brasileira de Reumatologia, que levantou dados da previdência social no Brasil, a enfermidade é responsável por 7,5% de todos os afastamentos do trabalho; é a segunda doença entre as que justificam o auxílio-inicial, com 7,5% do total; é a segunda também em relação ao auxílio-doença (em prorrogação) com 10,5% e é a quarta a determinar aposentadoria (6,2%).

Entre os fatores de risco para a osteoartrite, a ortopedista do Complexo Hospitalar Santa Genoveva Cinthia Monteiro Mendes lista a idade avançada, obesidade, lesões prévias de traumas anteriores, pessoas do sexo feminino, deformidades ósseas e a presença de outras doenças como gota, diabetes mellitus, por exemplo.

Prevenção

A médica lembra que a osteoartrite pode ser prevenida por meio do controle de peso, uma vez que quem tem uma predisposição a ter a doença, precisa evitar sobrepeso. “É importante fazer exercícios de fortalecimento da musculatura, pois quanto mais músculos a pessoa tiver, menor será a sobrecarga óssea e articular”, explica. Também é necessário evitar níveis elevados de açúcar no sangue para o controle do diabetes.

Para quem já desenvolveu a doença, é necessário realizar acompanhamento médico periódico com ortopedista para a definição do melhor tratamento. Em casos mais avançados, a única forma de correção é por meio de intervenção cirúrgica e prótese articular. A Dra. Cinthia dá algumas sugestões de mudanças de hábitos comportamentais, como exercícios, fisioterapia, pilates, hidroginástica e dietas que podem adiar o desenvolvimento e a progressão da doença.

Vale lembrar que a osteoartrite / artrose não deve ser confundida com a artrite. “Apesar das duas afetarem as articulações, elas se diferem em muitos sentidos. A artrite pode ser causada por diversas doenças autoimunes, como lúpus e artrite reumatoide, gota, assim como também pode ser consequência da artrose, ou seja, alguém que tem desgaste nas articulações também pode desenvolver uma inflamação. Outra diferenciação é que a artrite atinge principalmente dedos, punhos, pés e tornozelos, já a artrose é mais ligada ao envelhecimento e acomete articulações que suportam mais peso, como quadril, joelhos e a coluna”, explica a médica.

Dicas de cuidados para pacientes com artrose

* Evitar sobrepeso e obesidade – peso extra coloca estresse nas articulações e pode machucar quadris, joelhos, tornozelos e pés. A gordura extra provoca alterações na cartilagem.

* Realizar atividade física principalmente que envolva fortalecimento muscular – quanto mais músculos, menos sobrecarga nas articulações. Pense em mudar os exercícios e atividades a cada dia para usar diferentes partes do corpo evitando o estresse nas mesmas articulações todos os dias.

* Tratar doenças de base que possa ter (diabetes, gota etc.) – importante manter a saúde geral sob vigilância.

* Ter cuidado com traumas e lesões – atenção a quedas, pancadas, evitar carregar peso.

* Seguir as recomendações médicas e fazer acompanhamento com ortopedista.

Confira outras notícias: