Previous
Next

Perfil inovador passa a ser um diferencial no pós-pandemia

Compartilhe este post

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Os profissionais devem estar dispostos a aprender com o novo e se adaptar a mudanças

Após a pandemia do coronavírus, empresas e profissionais se reinventaram, as atividades passaram a ser desenvolvidas remotamente e, diante deste cenário, a vivência da inovação passou a ser algo imprescindível no mercado de trabalho. Segundo a gerente de Desenvolvimento Organizacional da VLI, Francielle Pedrosa, é muito importante ter esse perfil inovador, bem como estabelecer relação com pessoas dentro e fora da empresa.

“É preciso estar sempre antenado, se conectar com as melhores práticas dentro de startups, cuidar do autodesenvolvimento, adquirir conhecimentos e experimentar coisas novas. A VLI busca pessoas críticas, prontas para discutir soluções e posições diversas”, afirma.

Francielle Pedrosa ressalta que deve-se ter capacidade de resiliência para estar nesse novo mundo. Ou seja, é preciso mudar com ideias e incentivar as pessoas a experimentarem e aprenderem com os erros. A companhia abriu seu Programa de Trainee 2022, voltado para formação das futuras lideranças. As inscrições podem ser feitas até a próxima quarta-feira (dia 15), por meio do site https://www.vli-logistica.com.br/carreiras.

“Queremos formar pessoas que têm nosso DNA, para suportarem esse crescimento na empresa. Os novos trainees darão orientações para os clientes, devem estar pré-dispostas a conhecer o negócio, melhorar indicadores e servir bem o cliente. No perfil pessoal, o principal atributo é estar aberto a aprender coisas novas, além de se adaptar a mudanças e gostar de operação. Desta forma, buscamos pessoas mais criativas, inovadoras, que gostem de trabalhos mais tecnológicos, queiram aprender com nosso business e almejam se tornar executivos dentro da companhia”, destaca a gerente de Desenvolvimento Organizacional da VLI.

Francielle Pedrosa observa que, durante a pandemia, o principal desafio para todos foi o de aprender a trabalhar a distância. Ela frisa que o momento exige transformações, trabalho remoto e a seriedade do Canal de Ética. “A empresa também está se reinventando para atender às necessidades humanas”.

Aos candidatos do Trainee 2022, ela deixa a seguinte dica: é necessário ter autoconhecimento, conseguir verbalizar quem são e quais seus propósitos. “Seja você mesmo e se conheça, como ser humano. Assim conseguiremos fazer uma melhor avaliação e nos conectarmos com o candidato”, finaliza.

Carreira na VLI – A trainee de Operações Ferroviárias da VLI, Júlia Coutinho Tagliari, de 25 anos, é graduada em Engenharia Civil e foi aprovada no Programa de Trainee de 2021. Ela conta que foi estagiária de Manutenção de Via Permanente na companhia entre 2018 e 2019. “Foi uma experiência muito bacana. Conheci universo que não sabia que existia. Criei uma grande admiração pela empresa, que tem oportunidades de crescimento e diversas áreas de interface. Escolhi estar na companhia e fico feliz por ela também ter me escolhido”.

Júlia Tagliari diz que tentou o Programa de Trainee 2019, para retornar para a empresa em 2020, mas não passou na seleção. Sabendo que seu objetivo era seguir carreira na VLI, tirou um tempo para se preparar para o processo seletivo de trainee. “Estudei muito todos os materiais que empresa disponibilizou sobre diversidade, equidade de gênero e o que é esperado de um trainee. A partir disso, vi que precisava entender o que tinha vivido e as experiências de vida que me levaram a ser quem sou hoje”.

Além de estudo sobre a empresa, a trainee pontua que é essencial tirar um tempo para olhar para dentro de si mesmo, se entender e buscar autoconhecimento. “Se conhecendo, saberá onde quer chegar. E, dessa forma, você consegue ter mais clareza nas contribuições e escolhas”.

Conforme ela, a ferrovia tem muitas frentes para que a inovação seja trabalhada, é um jeito novo de rever os processos. “Na minha rotina vejo muitas oportunidades para inovação. São novas formas de desenvolver os processos, integrar as áreas trazendo mais conhecimento e visando a inovação como um todo”, comenta.

Sobre seu futuro na VLI, Júlia Tagliari espera transitar por diversas áreas para agregar conhecimento. “Quero também me tornar analista, já tendo em vista uma carreira de liderança, e desenvolver minhas competências. Quero subir os mais diversos degraus. Quem sabe não me torno uma diretora?”.

Home office – Apesar de estar home office, ela faz questão de ressaltar que a empresa é aberta ao mundo digital e faz de tudo para garantir a interação entre as pessoas. Para ela, o trabalho remoto fez com que ela aprimorasse sua comunicação e a interface com colegas de outras áreas e regiões do país.

Sobre a VLI – A VLI tem o compromisso de apoiar a transformação da logística no país, por meio da integração de serviços em portos, ferrovias e terminais. A empresa engloba as ferrovias Norte Sul (FNS) e Centro-Atlântica (FCA), além de terminais intermodais, que unem o carregamento e o descarregamento de produtos ao transporte ferroviário, e terminais portuários situados em eixos estratégicos da costa brasileira, tais como em Santos (SP), São Luís (MA) e Vitória (ES). Escolhida como uma das 150 melhores empresas para trabalhar pela revista Você S/A, a VLI transporta as riquezas do Brasil por rotas que passam pelas regiões Norte, Nordeste, Sudeste e Centro-Oeste.

Confira outras notícias: