Policiais penais e agentes socioeducativos recebem treinamento com lâminas

Compartilhe este post

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Profissionais de todo o estado participaram do curso, ministrado na Penitenciária de Ribeirão das Neves I e no Comando de Operações Especiais (Cope)

Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública (Sejusp) promoveu o curso “Silent Blade – Combate com Lâminas a Curta Distância”, nessa quarta-feira (23/6). O objetivo é capacitar 150 policiais penais que atuam em unidades prisionais de médio e grande porte e 30 agentes socioeducativos que são coordenadores e diretores de segurança em unidades do interior. Além de obterem a certificação de participação, eles aprenderam novas táticas de defesa pessoal. 

Dirceu Aurélio / Sejusp

Quem ministrou a capacitação foi o instrutor Waldevir Junior. Os participantes foram divididos em três turmas, na Penitenciária de Ribeirão das Neves I – José Maria Alkimin e na sede do Comando de Operações Especiais do Sistema Prisional (Cope).

Segundo o assessor de gabinete da Sejusp, Marcos Matos, a Sejusp pretende oferecer mensalmente cursos do tipo, para capacitar ainda mais os servidores. “Buscamos referências nacionais no combate a curta distância com lâminas, matéria estritamente ligada às funções desses servidores, que podem ser atacados com este tipo de objeto. Acreditamos que, com esses cursos, vamos aumentar a segurança dos trabalhadores de todo o sistema prisional e socioeducativo”.

 O “The Silent Blade Seminar” é um curso de táticas e estratégias que usa a lâmina como equalizador de força. Ele tem como objetivo ensinar o participante a sentir o que funciona em situações de alta pressão e quais são os conceitos a serem desenvolvidos para sua sobrevivência. O treinamento desenvolve uma mentalidade tática e ensina a usar habilidades motoras para conter agressões e equalizar a força tática com uso da lâmina. 

Dirceu Aurélio / Sejusp

O instrutor Waldevir Junior é treinador especializado em combate tático e estratégias de defesa pessoal, com experiência em artes marciais. “As estatísticas mostram que, cada vez mais, estão acontecendo ataques com facas. Desenvolvemos o curso num formato ideal para que os alunos tenham uma ferramenta que traga facilidade para operar em situações reais”, afirma.

Multiplicadores – Os participantes do curso atuarão como multiplicadores em seus locais de trabalho, compartilhando e instruindo os seus colegas sobre as táticas aprendidas. Um dos requisitos da escolha dos servidores foi atuar no trânsito interno de presos e adolescentes em cumprimento de medida.

Confira outras notícias: