Prefeitura Municipal dialoga sobre celebrações do Treze de Maio em Uberaba com representantes da festa

Compartilhe este post

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

A prefeita Elisa Araújo e o vice-prefeito Moacyr Lopes receberam, nesta quarta-feira (7), o presidente da Associação de Congadas, Moçambiques, Afoxés e Vilões de Uberaba – Rei Ambrósio (Acomavu), Luís Marcelo Conceição (Marcelo Simpatia), e o presidente da Associação de Ogãns de Uberaba, Ivan Jesus Urias. O presidente da Fundação Cultural de Uberaba (FCU), Cássio Facury, também participou da reunião.

O intuito do encontro foi alinhar questões referentes à festa do Treze de Maio em Uberaba. “Até então, as comemorações eram realizadas exatamente no dia, independentemente do dia que caísse. Isso estava trazendo um imenso transtorno de logística, porque muitos deixavam de vir se a data não caísse no fim de semana”, explicou o presidente da Acomavu, Marcelo Simpatia.

A partir de 2022, a festa que marca a Abolição da Escravatura no Brasil será realizada no segundo sábado de maio, próximo ao Dia das Mães, que é comemorado no segundo domingo do mesmo mês. “A ideia é realizar um aquecimento para o comércio, além de melhorar a logística e o turismo da cidade, trazendo gente de fora. Também queremos homenagear as mães. Quanto mais pessoas vêm para Uberaba, mais se consome, mais se gasta. Se antes recebíamos mil pessoas para o Treze de Maio, agora esperamos receber seis mil no fim de semana”, disse Marcelo.

A prefeita reforçou a importância das celebrações da data para Uberaba e está de acordo com a mudança. O vice-prefeito e o presidente da Fundação Cultural também colocaram-se à disposição para apoiar os representantes da festa.

O grupo ainda alinhou sobre o mapeamento das casas de matrizes africanas da cidade e conversou sobre o trabalho de inclusão social realizado pela Associação de Ogãns de Uberaba. “É um instituto cultural, com o objetivo de ensinar novos ogãns e compartilhar com ogãns experientes conhecimentos e sabedoria da religião Umbanda. Essa é uma função que trabalha com o toque do instrumento como o atabaque, e o canto”, pontuou o presidente da associação, Ivan Jesus Urias.

Confira outras notícias: