Rio Uberaba volta a ter redução de vazão

Compartilhe este post

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Apesar das previsões meteorológicas de aumento da frequência do volume de chuva no Sudeste brasileiro, para os meses de outubro e novembro, ainda não foi possível verificar a recarga completa do lençol freático na bacia do rio Uberaba. A seca prolongada, com mais de seis meses de duração na região, afetou drasticamente os mananciais e a taxa de reposição pela precipitação pluviométrica está sendo insuficiente.

Nos últimos dias, mesmo com um acumulado de 140,8 mm de precipitação em setembro e outubro (dados Inmet), a vazão do rio voltou a cair novamente. Ao longo do mês de outubro a vazão média do rio Uberaba ficou no patamar dos 1000 litros/segundo e com sistema de transposição do rio Claro operando por 11 dias. E neste domingo (24) com o baixo volume de água registrado na Estação de Captação, em torno de 760 litros/segundo, a equipe de engenharia da Companhia Operacional de Desenvolvimento, Saneamento e Ações Urbanas (Codau) decidiu pelo acionamento da transposição, com um motor elétrico sendo religado. E nesta segunda-feira (25), o segundo motor também foi acionado.

“O volume de chuva nesta primavera está abaixo do necessário para regularizar a vazão do rio Uberaba. E não está sendo suficiente para suprir o déficit nos principais afluentes do rio Uberaba, que estão enfrentando uma situação de secura muito intensa este ano”, observou o presidente da Codau, José Waldir de Sousa Filho. Ele reforçou a necessidade de a população manter os hábitos de economia de água como forma de colaborar com a situação hídrica do rio.

Conforme previsões da Epamig, para Minas Gerais, no mês de outubro, a probabilidade é de que o volume de chuvas ocorra acima da média. Entretanto, nas mesorregiões do Triângulo Mineiro/Alto Paranaíba e Sul/Sudoeste de Minas essa probabilidade é um pouco menor.

Confira outras notícias: