Sagri abre ciclo de palestras falando de patrimônio e combate à violência contra as mulheres

Compartilhe este post

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Com debates sobre a violência contra a mulher e educação patrimonial, a Secretaria Municipal do Agronegócio (Sagri) deu início, nesta terça-feira (24), na Capelinha do Barreiro, ao projeto Palestras Informativas e Educativas destinadas aos moradores das comunidades rurais em Uberaba.

Coube à professora Maria Amélia Pucci, diretora da Escola Municipal José Marcus Cherém, local sede das atividades, acolher as participantes, e ao diretor de Agropecuária da Sagri, Raoni Terra, promover a abertura do ciclo de palestras programado para 2021. Ele ressaltou a importância dos assuntos apresentados, ampliação de conhecimentos a quem participa, e interação entre as pessoas. Raoni aproveitou também para abrir espaço à comunidade no sentindo de sugerir novos temas para a sequência das discussões.

O primeiro assunto abordado foi Educação Patrimonial, por meio de um tripé composto por profissionais da Fundação Cultural de Uberaba, o historiador Gustavo Vaz e o professor Lucas Pedroso, além do arte-educador e promotor cultural Tói. “Educação Patrimonial é a preservação da história, de Uberaba, da Capelinha, da nossa memória,” enfatizou Gustavo apontando aos participantes os três tipos de patrimônio que são: material, imaterial e natural.

Oportunamente, Tói apresentou alguns prédios tombados em nossa cidade que são patrimônio histórico, e depois falou do imaterial, que são as realizações e celebrações que se perpetuam transformando-se em patrimônio da humanidade, citando, por exemplo, os ternos de Congada e as Folias de Reis. Folias que foram abordadas por Lucas Pedroso, seja em prosa, verso e crença, com o professor destacando Uberaba como maior centro das Companhias de Reis no País.

A segunda temática sobre o “Agosto Lilás” foi apresentada pela equipe do Centro Integrado da Mulher (CIM), ligado à Secretaria de Desenvolvimento Social. A gerente Juciara Moura Limírio disse que a luta em combate à violência contra a mulher é todo dia, é o ano inteiro. Porém, em agosto, salientou, “aproveitamos para potencializar as discussões e conscientização buscando pôr fim à violência em geral contra a mulher, seja ela física, psicológica, moral, patrimonial e sexual”.

Para Juciara Moura, em briga de marido e mulher se mete a colher, sim. “Não se envolvendo na agressão, mas denunciando de forma anônima através do 180. É a maneira de pedir socorro às instituições competentes para que elas possam agir em defesa desta mulher violentada”, afirmou a gerente do CIM, destacando que estas palestras funcionam como um ótimo trabalho de prevenção.

Também participaram das palestras em Capelinha do Barreiro, o presidente adjunto da FCU, Marco Antônio Figueiredo, a coordenadora de Políticas Públicas para Mulheres, Anna Maia Jampaulo e a psicóloga do CIM, Lorraine Rocha Marins.

A próxima rodada de palestras da Secretaria do Agronegócio será nesta quinta-feira, dia 26, a partir das 14h30, no salão paroquial da Igreja São José Operário, em Ponte Alta.

Confira outras notícias: