Como funcionam os cursos de imersão em língua inglesa?

Compartilhe este post

Segundo estimativas recentes, cerca de 700 milhões de pessoas falam inglês como língua oficial, e mais de 978 milhões o utilizam como segundo idioma. Para muitos, falar inglês é  importante porque dá acesso a uma quantidade significativa de informações disponíveis em livros, artigos, websites e outras fontes de informação.

Além disso, falar inglês pode ajudar a expandir os horizontes culturais, permitindo acessar filmes, músicas, literatura e outras formas de expressão artística da cultura anglófona e ampliar as oportunidades profissionais.

Hoje, é possível trabalhar para uma empresa do exterior mesmo morando no Brasil. Segundo um levantamento exclusivo da Husky, plataforma que facilita o recebimento de transferências internacionais, o número de profissionais que atuam desta forma cresceu 491% entre 2020 e 2022

A propósito, falar inglês pode significar um diferencial no mercado dos “nômades digitais” – profissionais que atuam no ambiente virtual, sem limitação geográfica. Mais de 35 milhões de pessoas já trabalham por meio do sistema em todo o mundo, soma que pode chegar a um bilhão em 2035, conforme o Relatório Global de Tendências Migratórias 2022 da Fragomen, empresa especializada em serviços de imigração mundial.

Nesse panorama, muitas pessoas interessadas no aprendizado de um segundo idioma se perguntam como se aprofundar no estudo de inglês de forma assertiva, considerando duas opções: cursos regulares ou imersões em língua inglesa. É o que afirma Willians Simões de Sousa, coordenador dos cursos de imersão da English Club – curso de imersão em inglês.

De acordo com Sousa, a principal diferença entre as imersões e os cursos tradicionais está na carga horária. “Em um curso tradicional, a carga horária é muito reduzida. Já em um curso imersivo, a dedicação aos estudos é intensiva em um curto espaço de tempo. O aluno estuda por período integral e fica imerso na língua durante esse período”, explica.

Segundo o coordenador dos cursos de imersão da English Club, outra diferença significativa entre as duas modalidades consiste no fato de que, em um curso tradicional, o estudante tem um tempo de intervalo muito grande entre uma aula e outra, o que pode prejudicar o aprendizado, pois facilita o esquecimento.

“Para se ter ideia, em um curso de imersão em inglês, o aluno elimina alguns semestres de uma escola de idiomas tradicional em apenas alguns dias. O curso é 100% prático e o aluno é estimulado a falar inglês o tempo todo”, descreve. 

Para mais informações, basta acessar: https://www.englishclub.com.br/

Confira outras notícias: