Faculdade de medicina assina termo de adesão ao Movimento Não ao Assédio

Compartilhe este post

A faculdade de medicina FACERES recebeu a presidente da Associação dos Ouvidores (ABO), Profa. Adriana Eugênia Alvim Barreiro, para a assinatura do termo de adesão ao #Movimento Não ao Assédio, o qual sugere posturas preventivas e o acolhimento a respeito com a “Carta Compromisso para a Prevenção e Combate aos Assédios”.

Adriana Eugênia Alvim Barreiro, presidente da ABO, ressaltou a importância dessa parceria e o objetivo que trará uma cultura de paz onde divergência e discordância são conflitos administráveis, diferente de assédio. Segundo a presidente da associação, a faculdade FACERES é a primeira a assinar o termo de cooperação.

“A FACERES é a primeira faculdade do Brasil a assinar o termo de cooperação com a ABO, referente a esta mobilização, dando apoio às ações de valorização e dignidade do ser humano no ambiente de trabalho, etapa importantíssima e referência e estímulo para trabalhar no combate ao assédio”, explicou professora Adriana.

Ressaltou ainda a importância de diferenciar o que é assédio do que é divergência e conflito. “Por isso, ter essa parceria com a faculdade que já dá voz aos colaboradores e alunos através do departamento de ouvidoria é um passo muito significante. Em primeiro lugar é necessário ter a escuta ativa, confidencial e isenta. Após, é importante encaminhar para uma comissão com acompanhamento dos envolvidos, capacitando as pessoas, mediando conflitos e prevenindo novas ocorrências. A prevenção é sempre a melhor opção”, disse Adriana.

A presidente apresentou estatísticas oficiais sobre assédio moral e sexual que variam entre os países. “No Brasil, o Ministério Público do Trabalho (MPT) registrou mais de 27 mil denúncias de assédio moral entre os anos de 2005 e 2019. Em relação ao assédio sexual, o último levantamento do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) apontou que, em 2019, mais de 70% das mulheres brasileiras já foram vítimas de algum tipo de violência sexual. No mundo, a Organização das Nações Unidas (ONU) estima que uma em cada três mulheres já foi vítima de violência de gênero durante a sua vida. É importante destacar que, muitas vezes, o assédio moral e sexual não são denunciados, o que pode levar a uma subnotificação dos casos”, apontou Adriana.

Fernanda Novelli Sanfelicce, professora e responsável pela Ouvidoria da faculdade de medicina FACERES,  destaca a importância dessa parceria que visa coibir e prevenir práticas intoleráveis como assédio e bulling.

“Temos um papel importante na sociedade e precisamos reprimir esse tipo de ação dentro e fora da faculdade”, destaca Fernanda.

As instituições participantes terão um selo para atestar a adesão a esse proceder ético, sugerindo posturas preventivas e o acolhimento a ocorrências dessas práticas, dando apoio às ações de valorização e dignidade do ser humano no ambiente de trabalho. O lema do movimento da ABO é “AQUI NÃO #MOVIMENTO CONTRA OS ASSÉDIOS”.

Somente em 2021, mais de 52 mil casos relacionados a assédio moral foram ajuizados na Justiça do Trabalho.

“A FACERES  se orgulha por ser a primeira faculdade do Brasil a ser signatária desta iniciativa da ABO no ‘Movimento Não Ao Assédio'”. Não se pode aceitar mais atitudes discriminatórias de qualquer natureza. Não basta o repúdio nem belos discursos, a sociedade necessita agir contra este tipo de atitude”, destacou o Dr. Toufic Anbar Neto, diretor da faculdade.

 

 

 

 

Confira outras notícias: