Previous
Next
Previous
Next

Retração industrial aumenta 11,6% no Brasil

Compartilhe este post

Informações da Associação Brasileira de Automação divulgadas através da Taxa de Retração industrial, publicada no fim de março, apontam alta na retração industrial em fevereiro no país. O índice de encerramento de portfólio de produtos foi de 11,6% para as indústrias e 4% para micro e pequenas empresas.

Neste cenário, números divulgados pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) também no mês passado informam que a produção industrial caiu em 10 dos 15 estados analisados pelo órgão entre dezembro do ano passado e janeiro deste ano.

Considerando um cenário de preocupação do setor, vale observar que o Icei (Índice de Confiança do Empresário Industrial) teve um recuo em março. A média de 58,7 pontos caiu para 53,3. O índice, entretanto, ainda indica confiança, já que segue acima dos 50 pontos. Para o levantamento, foram consultadas 1.617 empresas.

Fatores como a pandemia de Covid-19, ainda não superada no Brasil e no mundo, bem como o desequilíbrio na cadeia mundial de suprimentos podem ajudar a entender o panorama incerto da indústria.

Além desses fatores, no Brasil, a taxa de juros elevada e as incertezas no cenário político podem ajudar a entender a retração e a desconfiança quanto ao futuro. É a opinião de Richard Clayton, contador e fundador da Trinta Porcento, empresa de contabilidade e gestão empresarial.

Para ele, uma boa gestão financeira pode ajudar médias e grandes empresas a permanecer competitivas e com a produção em alta, evitando o encerramento de portfólios de produtos. “A primeira medida é avaliar como o mercado no qual se insere a indústria está projetando nos próximos meses”, afirma “Apesar da pandemia e ano eleitoral serem fatores que retraem a economia, alguns setores se mantêm ou crescem neste período”.

Para enfrentar um cenário pessimista

O especialista avalia que, caso o cenário seja pessimista e o mercado de fato esteja retraído até o final do ano, as empresas precisam olhar para dentro do seu negócio e avaliar as margens dos produtos e os seus custos de produção.

“Considero importante avaliar a sua capacidade financeira e sua necessidade de capital de giro (NCG) ao longo deste período. Provavelmente será necessário fazer algum tipo de redução de custos e até mesmo avaliar a possibilidade de focar em produtos que possuem margens melhores”, pondera o fundador da Trinta Porcento.

Circunstâncias vantajosas pedem outra abordagem

Segundo o especialista, caso a empresa esteja com o cenário otimista, será uma grande oportunidade de ganhar mercado. Ele, então, considera importante também avaliar a NCG de modo a mensurar a capacidade de caixa para sustentar este crescimento de mercado.

“Acredito que, para realizar todas as avaliações, ter um sistema operacional que consiga fornecer todos estes dados é uma prioridade, assim como ter profissionais capacitados internos ou terceirizados para apoiar nestas análises”, finaliza.

Neste cenário incerto, a Taxa de Retração Industrial acumula 6,5% de alta considerando todo o país e 18,2% para MPEs, demonstrando a queda na variedade de produtos disponíveis no mercado no período de 12 meses entre março do ano passado e fevereiro deste ano.

Para mais informações, basta acessar: http://trintaporcento.com.br/

Confira outras notícias: