Previous
Next

São Paulo recebe 1º Fórum Brasil-China de Saúde, dia 14 de dezembro

Compartilhe este post

A pandemia da Covid-19 deixou o mundo em alerta. Mas o sistema de saúde mundial já estava e continua como um grande desafio. Por outro lado, a Covid-19 também aproximou chineses e brasileiros nas parcerias de equipamentos (EPIs), vacinas, pesquisas, profissionais, entre muitas áreas de intercâmbio. É sabido que o setor de saúde é estratégico e gera emprego e renda, além de novas oportunidades em tecnologia e desenvolvimento.

Este diálogo será à base de criação do 1ª Fórum Brasil-China de Saúde, que ocorrerá dia 14 de dezembro (quarta-feira), das 9h às 11h, no Hospital Sírio-Libanês e pela plataforma Zoom. Trata-se de uma iniciativa da Puyi Global, empresa sino-brasileira, liderada por Patrícia Zhao Chengcheng, formada em Física pela USP, com pós-graduação em Gestão de Serviços Hospitalares pelo hospital Albert Einstein. Patrícia é CEO da Puyi Global, instituição privada de saúde voltada para comunidade chinesa no Brasil e com um modelo inovador de atenção multicultural e digital, que tem como foco a saúde inteligente.

Um dos objetivos da empresa, que será discutido no Fórum, é criar em solo brasileiro o primeiro Hospital Digital Brasil-China, reunindo as técnicas ocidentais e chinesas. Esse modelo de hospital visa tornar mais célere o diagnóstico, por meio de tecnologia, além de tornar mais acessível o tratamento, com redução de custos para governos e a iniciativa privada, com a diminuição das internações, entre outros.

Patrícia Zhao tem atuado como ponte entre a China e o Brasil na área de saúde, tendo participado de seminários, encontros, eventos do governo chinês e de governo/entidades do Brasil, em especial durante a fase mais aguda da pandemia de Covid-19.

Esta experiência serviu de inspiração para a criação do 1ª Fórum Brasil-China de Saúde, que tem como foco aproximar os dois países na busca de soluções conjuntas e intercâmbio direto neste setor, que gera emprego e renda, mas também é fator chave para o combate à pobreza extrema e base da busca pela igualdade entre os povos. E a saúde deve ser prioridade.

“Brasil e China já são grandes parceiros, mas podem avançar muito no setor de saúde, principalmente, no combate à pobreza e na qualidade e bem estar de vida de seus povos”, destaca Patrícia Zhao Chengcheng. Ela ressalta ainda que “desta forma, é estratégico pensar nas perspectivas do setor de saúde nos próximos anos, com foco no Brasil e na China, mas de uma forma transversal com o mundo, em curto, médio e longo prazo, a partir de um diálogo construtivo envolvendo autoridades, profissionais, especialistas, empresários, gestores públicos e privados, lideranças, empreendedores, entre outros, para debater as oportunidades do setor que mais cresce no mundo”.

Novo Cenário – Há mais de 15 anos, a China é a maior parceira comercial e de investimentos do Brasil. Desde 2018, antes da pandemia, a China já havia mudado seu foco de investimento e desenvolvimento com o Brasil, apostando nas startups e setores de alta tecnologia. Este novo cenário de pandemia “não totalmente controlada” obriga soluções perenes e inteligentes, o que abre portas para novas parcerias, principalmente, em áreas de comércio digital e produtos manufaturados. Mas também para o setor de Saúde, que é um grande gargalo, principalmente, em diagnóstico, na prevenção e oferta de equipamentos. E as novas tecnologias, como os hospitais digitais, e os tratamentos naturais, como os remédios fitoterápicos, com a expansão de sua produção, são uma realidade, que baixa custos e universaliza o atendimento.

“O Brasil e a China possuem grandes populações e estão em desenvolvimento, com muitas prioridades, mas é sabido que se estiverem juntos podem ajudar seus povos, gerando mais negócios, mais oportunidades, mais vidas saudáveis. O primeiro passo na saúde é o diagnóstico, mas ele sozinho não resolve. Há uma emergência e uma urgência para esse desafio. E só a força coletiva é possível caminhar e inovar nas soluções”, finaliza Patrícia Zhao Chengcheng.

Serviço: 1ª Fórum Brasil-China de Saúde

Data: 14 de dezembro de 2022 – quarta-feira

Horário: das 9h às 11h. Local: Hospital Sírio-Libanês (SP)

Transmissão pela plataforma Zoom. 

Pré-programa:

9H – Autoridades públicas e privadas da China e Do Brasil;

9H30 – Diálogos iniciais de construção da rede Brasil-China de saúde, desafios, oportunidades e novos negócios;

11H – Encerramento com divulgação da carta Brasil-China de Saúde – Uma Proposta de Novas Parcerias.

Mais informações pelo WhatsApp:

Em chinês: 11 95030-8596

Em português: 11 95123-1000

Confira outras notícias:

Geral

PMU contrata psiquiatra para Caps

A Prefeitura de Uberaba abriu Processo Seletivo Simplificado para o quadro de reservas de médico plantonista, especialista em Psiquiatria, para