Acusados de acorrentar, agredir e ameaçar vítima com motosserra são presos pela PM

Compartilhe este post

Foto: Divulgação
Correntes usadas no crime foram apreendidas com os suspeitos

Um homem viveu momentos de terror em Uberaba após ser mantido refém em cárcere privado, amarrado, acorrentado e agredido em uma residência. Os suspeitos foram capturados pela Polícia Militar no local do crime.

De acordo com a informações apuradas pela Folha Uberaba, a tortura aconteceu na noite de ontem (09) na Rua José Geraldo de Moura no bairro Residencial Tiago e Jéssica, onde uma testemunha ligou para a PM (VIA 190) e relatou que um homem conhecido na região e estava seguindo em uma bicicleta pela via, mas foi abordado por dois suspeitos. Ele foi agredido no meio da rua e levado para o interior de um estabelecimento comercial. A testemunha contou ainda que ouviu vários gritos e o barulho de uma motosserra dentro do estabelecimento.

Policiais militares da 40ª Companhia chegaram rapidamente no local e verificaram através do muro que várias pessoas estavam dentro do comércio e a vítima estava no chão. Os militares chamaram no portão e foram atendidos por um suspeito. Eles entraram e se depararam com a vítima de 56 anos no chão com as mãos acorrentadas e as correntes trancadas com um cadeado. Os policiais conversaram com o homem espancado, e ele relatou que era dependente químico, mas que isso não atrapalhava suas atividades porque ele trabalhava e estudada. Disse ainda que que estava devendo de R$ 1.060 para um dos envolvidos e que quando passava na via retornando da escola foi abordado pelos dois suspeitos que ele agrediram no meio da rua, cobraram a dívida, e que o levaram a força para o interior do comércio.

O agredido ainda contou que já tinha pagado cerca de R$ 600 e que os acusados estavam cobrando juros, que queriam mais dinheiro, mas ele não tinha naquele momento e que ao entrar no local foi acorrentado e espancado com socos, chutes, tapas no rosto e os acusados ainda pegaram uma motosserra, ligaram e disseram que iriam matá-lo inclusive começando cortando as pernas.

Então os militares questionaram os suspeitos que confessaram o crime, mas negaram o uso da motosserra. Eles ainda relataram que durante a tentativa de fuga perderam a chave do cadeado usado para trancar as correntes que amarravam a vítima. Os policiais cortaram o cadeado, libertaram o refém, fizeram buscas, mas não localizaram a motosserra. A dupla acusada de cárcere privado, ameaça e lesão corporal foi presa em flagrante, levada até a delegacia e apresentada autoridade de Polícia Judiciária de plantão.

Confira outras notícias: