Agronegócio e universidades vão monitorar safra agrícola em Uberaba

Compartilhe este post

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

A Secretaria Municipal do Agronegócio (Sagri) vai implementar, a partir do segundo semestre, o monitoramento de safra via satélite em Uberaba. A meta é auxiliar para a precisão dos dados da produção agrícola no município, assim como contribuir para questões ambientais.

De acordo com o chefe da Seção de Desenvolvimento Rural da Sagri, professor mestre Matheus Oliveira Alves, o projeto só está sendo possível graças à parceria com o Laboratório de Cartografia e Geoprocessamento do curso de Geografia da Universidade Federal do Triângulo Mineiro (UFTM) e o professor Matheus Alves do Curso de Agronomia das Faculdades Associadas de Uberaba (Fazu). “Já acertamos com os professores/pesquisadores responsáveis pelos laboratórios e a proposta é de, em julho, iniciar os trabalhos”, relatou.

O técnico da Sagri explicou que o monitoramento vai funcionar por meio das imagens de satélite, somadas com as imagens de drones de visitas de campo e ferramentas de geoprocessamento. A meta, disse ele, é monitorar áreas produtivas ao longo de toda a safra (verão e inverno), além de contribuir com as questões ambientais no Município, como áreas úmidas e áreas de vegetação existentes.

Matheus destacou que com os dados em mãos e diante das visitas a campo, feitas pelos técnicos da Sagri, será realizado um refino de todas estas informações e detalhar as produções agrícolas, se milho, soja e trigo, dentre outras, assim como especificar melhor as pastagens.

Matheus Alves enfatiza que o projeto não implicará em nenhum custo para o Governo Municipal. Por outro lado, salienta que contribuirá sobremaneira para maior precisão dos números apresentados pelo Conselho Gestor de Previsão de Safra no Município, afinal, será possível cruzar dados do geoprocessamento com os colhidos a campo pela Sagri e instituições parceiras. “Isto, sem falar que os dados ambientais poderão ser utilizados como parâmetro para diversas ações em defesa do nosso ecossistema”, afirmou o professor.

Confira outras notícias: