Previous
Next
Previous
Next

Censo Rural atinge 3 mil propriedades pesquisadas em Uberaba

Compartilhe este post

A Companhia de Desenvolvimento de Informática de Uberaba (Codiub) e a Secretaria do Agronegócio receberam da GI Tecnologia, nesta semana, a quarta medição do Censo Rural, totalizando 3 mil propriedades pesquisadas no município.

De acordo com Ricardo Araújo, tecnólogo de processamento da GI Tecnologia, foram 747 propriedades rurais pesquisadas nesta quarta medição. A coleta dos dados é referente ao mês de maio. O número somado aos 2.233 das três medições anteriores, totaliza 3 mil propriedades recenseadas em Uberaba, limite da pesquisa contratada junto à GI.

Até o momento, nas quatro medições, há 132 propriedades sem acesso, ou seja, onde não foram encontrados os donos. Isto representa 4,4% das 3 mil propriedades pesquisadas, sendo que funcionários da Secretaria do Agronegócio ainda farão busca ativa.

Diretor executivo da Codiub, Marlon Soares informou que o prazo do contrato foi prorrogado até dezembro, visando viabilizar a pesquisa das propriedades acima das 3 mil contratadas. “A novidade é que em vez de 800 propriedades a mais, tomando como base dados do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), este número pode subir para 1.400. De qualquer maneira, estamos negociando com a GI Tecnologia para que 100% dos imóveis rurais sejam recenseados”, disse.

O secretário adjunto do Agronegócio, José Geraldo Borges Celani, ressaltou que, desde o início do Censo, a Pasta defendeu que o número de propriedades rurais era superior às 3 mil contratadas. Porém, lamentou que este foi o número estabelecido pelo Governo anterior sem consultar a Sagri. Por outro lado, observou que as 1.400 propriedades a mais é uma surpresa, mas demonstrou a importância do Censo Rural que, com certeza, irá apontar outros números significativos.

Este número bem acima, até mesmo das informações do Incra, José Geraldo entende que a explicação está nos ranchos às margens dos rios Araguari, Claro e Grande. “Só aí deve existir 800 propriedades ribeirinhas”, estimou o adjunto, destacando a importância de que eles façam parte do Censo Rural, inclusive, para que seja desenvolvida política pública específica para a atividade em questão. “Eles utilizam o espaço apenas como lazer, residem no local, podem ser potenciais produtores de pescado”, questionou.

Outra boa parte dos que ainda não foram recenseados está na Área de Preservação Permanente (APP) do rio Uberaba, sendo composta por número expressivo de pequenas propriedades rurais.

O tecnólogo da GI, Ricardo Araújo, acredita que até a segunda quinzena de julho, os dados das 3 mil propriedades pesquisadas já estarão à disposição da Prefeitura de Uberaba, com todas as informações contidas no questionário do Censo, incluindo, gráficos.

Confira outras notícias: