Codau discute crise hídrica com segmentos do agronegócio

Compartilhe este post

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

O Governo Municipal, através da Companhia Operacional de Desenvolvimento, Saneamento e Ações Urbanas (Codau), amplia o diálogo com os segmentos da sociedade para alertar sobre a seca histórica deste ano e as consequências na distribuição de água da cidade.

Desta vez, o encontro foi organizado pelo Sindicato Rural de Uberaba, com a presença do Ministério Público do Estado, Corpo de Bombeiros e a Associação das Indústrias Sucroenergéticas de Minas Gerais (Siamig). A crise hídrica estava na pauta, assim como as queimadas constantes neste período de estiagem.

O presidente da Codau, José Waldir de Sousa Filho, explicou que a Companhia está atenta aos desafios impostos pela seca deste ano. E relatou as medidas técnicas já adotadas como a antecipação em mais de 2 meses do sistema de transposição do rio Claro e a construção de vários by-pass, em adutoras que interligam a Estação de Tratamento de Água e centros de reservação, para agilizar a distribuição de água em regiões mais populosas e de maior consumo.

“Acredito que com união de forças vamos buscar soluções para amenizar essa crise hídrica, que poderá afetar não só a população, mas também o comércio, o produtor rural e a indústria. Estamos trabalhando para evitar o cenário de 2014, que foi terrível”, alertou José Waldir.

Participaram ainda do encontro os secretários municipais de Desenvolvimento Econômico, Turismo e Inovação, Rui Ramos e do Agronegócio, José Geraldo Celani; o presidente da Fiemg, José Arlenio Veneziano; o tenente-coronel BMMG, Ricardo Marisguia Mendes e capitão BMMG Marcelo Bosco; o gerente ambiental da Siamig, Jadir Oliveira e os diretores do SRU, Adílio Camargo Júnior e João Henrique Vieira da Silva.

Confira outras notícias: