Codau e irrigantes do Rio Claro iniciam diálogo

Compartilhe este post

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

O Governo Municipal, por meio da Companhia Operacional de Desenvolvimento, Saneamento e Ações Urbanas (Codau), amplia os diálogos com os diversos atores para o enfrentamento da estiagem, intensa e prolongada, prevista para este ano. Nesta segunda-feira (28) foi a vez da Associação dos Usuários de Águas da Bacia do Rio Claro (Auarc).

A barragem de nível para captação de água do sistema de transposição no rio Claro está inserida em uma área onde 60 irrigantes têm outorga do Instituto Mineiros de Águas (Igam) para uso do manancial. A convergência de informações com a Associação é um fator importante no contexto da estiagem, como explicou o presidente da Codau, José Waldir de Sousa Filho. “Essa troca de ideias sobre a área é importante, pois somos todos interessados neste recurso hídrico. A Codau, para o abastecimento de Uberaba e os irrigantes, para o desenvolvimento de suas atividades. O rio Claro é uma área de conflito em relação ao uso da água e a troca de ideias é importante neste momento”, frisou ele.

O produtor rural Claudio Ottoni, presidente da Auarc, participou da reunião acompanhado do consultor ambiental Carlos Hernani Vieira e do consultor jurídico Talhys Andrey Nunes Rodrigues. Da Codau participaram os diretores Paulo José Stival Coelho (Saneamento), Januário Molinero Neto (Comercial e Financeiro), o gerente de Abastecimento, Fernando Tibola, a engenheira ambiental, Vanessa Oliveira e o assessor jurídico adjunto, Frederico Miranda.

Ottoni colocou a Auarc como parceira do Município no que tange ao enfrentamento da seca e outros assuntos do agronegócio. “Sempre fomos muito cooperativos, participativos, sempre somando. Estamos aqui sempre para somar e evoluir com ideias e estudos. Da melhor maneira possível, qualquer problema, independente se é água, estradas rurais, Ceasa. Estamos para somar, nunca para dividir”, ressaltou ele.

A direção da Codau já se reuniu para falar da seca com os vereadores, Ministério Público, Sociedade Civil Organizada e Associação dos Diplomados da Escola Superior de Guerra (Adesg).

Confira outras notícias: