Previous
Next

Coluna Via Digital

Compartilhe este post

Por Lucia Camargo Nunes*

Strada ganha câmbio automático e chega a R$ 112 mil


O veículo mais vendido do Brasil, atualmente, acaba de receber um importante upgrade. A picape Fiat Strada, líder de emplacamentos no ranking nacional, passa a vir com câmbio automático em duas versões: na Volcano, a R$ 111.990 e a nova Ranch, por R$ 116.990.

Equipada com motor 1.3 flex (Firefly) que rende até 107 cv com etanol, a picape compacta traz a mesma transmissão CVT do Pulse 1.3, que simula 7 marchas.

A caixa possui três modos de condução: automático (ajusta as melhores relações conforme o jeito de dirigir), manual (com trocas por aletas atrás do volante ou pela alavanca) ou Sport (marchas mais curtas para desempenho mais ágil).

Picape Fiat ficou mais econômica


Segundo a Fiat, o consumo da Strada CVT com etanol no tanque é de 8,8 km/l na cidade e 9,9 km/l na estrada. Com gasolina, respectivamente, 12,4 km/l e 13,9 km/l.

Esses números são superiores aos divulgados pelo Inmetro sobre a versão Volcano manual: 8,5/9,2 km/l com etanol e 12/13,2 km/l com gasolina.

Outra novidade é a capacidade de carga reduzida em 50 kg, para 600 kg, sem alterar o volume de 844 litros.

Das duas versões CVT, apenas a Ranch, que passa a ser a topo de linha, traz diferenciais no design, em alguns detalhes em cinza e acabamento em preto brilhante e rodas de 15”, entre outros adereços com o nome da versão. Por dentro, o sistema multimídia de 7” pareia Apple CarPlay e Android Auto sem fio, assim como traz carregador por indução, câmera de ré e sensor de estacionamento.

A Volcano CVT acrescenta em relação à manual o carregador sem fio e um descansa-braço no console central.

Audi volta a produzir no Paraná


A Audi anunciou a retomada da produção de veículos em sua planta de São José dos Pinhais (PR), suspensa desde fevereiro.

De 2015 a início de 2021, a Audi montou os modelos A3 Sedan e Q3 por meio de um programa federal que incentivava a produção local em troca de créditos. Mas não houve contrapartida por parte do governo. Sem essa compensação, a companhia decidiu suspender a operação.

O valor não foi revelado, mas a proposta agora envolve negociações com Ministério da Economia e governo do Paraná para abater impostos dos modelos a serem produzidos.

Q3 ficará mais potente

A partir de meados de 2022, a planta paranaense da Audi volta a fabricar os modelos Q3 e Q3 Sportback com o motor 2.0 TFSI de 231 cv e tração integral. O atual, importado da Hungria, utiliza motor 1.4 turbo de 150 cv (amplamente usado na linha Volkswagen) ou 2.5 de 400 cv, no caso das versões RS.

Em um primeiro momento no país, a Audi montou nesta mesma planta a primeira geração do hatch A3, entre 1999 e 2006.


Da esquerda para a direita: Antonio Calcagnotto (responsável por Assuntos Institucionais e Sustentabilidade na Audi do Brasil), Johannes Roscheck (CEO e presidente da Audi do Brasil), Ratinho Junior (Governador do Paraná) e Abílio Oliveira (presidente da Assoaudi) – Foto Audi

Volvo radicaliza para focar no elétrico


A Volvo Cars investe firme na eletrificação, a ponto de aposentar um de seus carros mais vendidos no Brasil. A companhia anunciou investimento de R$ 10 milhões para criar 13 corredores de recarga rápida em postos de combustíveis na malha rodoviária, em trecho que cobre 3.250 km entre São Paulo, Belo Horizonte, Curitiba, Rio de Janeiro, Uberlândia e Baixada Santista, entre outras cidades. Cada um dos pontos terá capacidade para carregar dois veículos simultaneamente.

O projeto é entrar em funcionamento logo no início de 2022 e sem cobrança pela recarga. A Volvo ainda faz concorrência para definir qual empresa vai fornecer os carregadores.

XC40 agora, só 100% elétrico


Como prova desse comprometimento, a marca sueca radicaliza: um de seus modelos mais vendidos no Brasil, o XC40 deixa de ter a opção híbrida e agora só está disponível na opção Recharge Pure Eletric.

“Eletrificação para a Volvo não é nicho nem complemento de gama, é realidade. Quem vem pra Volvo vai encontrar o futuro agora”, garante João Oliveira, diretor geral de operações e inovação da Volvo Car Brasil.

Para se ter ideia, o XC40 híbrido plug-in custa R$ 274.950, enquanto sua versão elétrica pura sai por R$ 389.950.

Hoje, o XC40 Recharge Pure Electric é o precursor da linha e, no início do ano que vem, a Volvo estreia no Brasil o C40, seu segundo modelo 100% elétrico.

*Lucia Camargo Nunes é economista e jornalista especializada no setor automotivo. E-mail: [email protected]

Confira outras notícias: