Controladoria-Geral e Sindicato alinham ações de combate ao assédio moral

Compartilhe este post

A controladora-geral do Município de Uberaba, Júnia Camargo, recebeu na tarde desta sexta-feira (26) o presidente do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Uberaba (SSPMU), Martinho Pereira. Durante o encontro, foram discutidas ações conjuntas para prevenir a ocorrência de assédio moral no serviço público.

Uma das propostas é a realização de palestras nos órgãos e unidades da administração municipal, para servidores e chefias, sobre o que caracteriza assédio moral e como denunciá-lo. Também serão distribuídas cartilhas orientativas acerca do tema e elaborada campanha de comunicação interna.

“A principal motivação desse encontro é traçar uma estratégia para combatermos, juntos, o assédio moral no trabalho, uma vez que a Controladoria-Geral tem como função a prevenção e a correição de condutas abusivas cometidas pelo servidor”, enfatizou Júnia. A Controladoria e o Sindicato também alinharam a troca de informações de eventuais denúncias e provas produzidas.

O Município ainda oferecerá curso aos servidores da área de recursos humanos para que possam identificar e acolher adequadamente vítimas de assédio moral. Em paralelo, será criada uma normativa para disciplinar o tratamento dessas denúncias no âmbito do Município, desde as portas de entrada para comunicação do fato até a resolução do conflito.

Para o presidente do Sindicato, a reunião foi produtiva. “Queremos trabalhar em conjunto e com transparência para dar mais segurança ao servidor que sofre assédio moral ou se sente acuado ou perseguido no trabalho a denunciar tais práticas. O Sindicato pode contribuir muito com o trabalho da Controladoria. Nossa busca é por ações efetivas para coibir essa prática no serviço público”, disse Martinho.

O próximo passo será o estabelecimento do cronograma de visita aos órgãos e unidades para início das palestras de combate ao assédio moral, com a participação de servidores da Controladoria-Geral e de membros do Sindicato.

O servidor pode denunciar o comportamento abusivo na Ouvidoria-Geral do Município, pelo tridígito 156 ou pelo site Fala.BR, ou no e-mail [email protected].

Confira outras notícias: