Cras do Morumbi faz mutirão para atender demandas da comunidade

Compartilhe este post

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Com demanda maior devido à substituição do Bolsa Família pelo Auxílio Brasil, o Centro de Referência de Assistência Social (Cras) no bairro Morumbi abriu as portas mais cedo nesta quinta-feira (4), às 6h. Servidores de outros departamentos da Secretaria de Desenvolvimento Social (Seds) reforçaram a equipe da unidade, responsável pela cobertura de mais de 40 bairros, inclusive da zona rural.

Foram feitos 100 agendamentos para atendimento já na próxima semana, após os usuários passarem por triagem. A marcação é necessária para atualização ou nova inscrição no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico). Pessoas do grupo prioritário, como mãe acompanhada por criança de colo e idoso, tiveram prioridade na fila.

Conforme explicou a chefe do Departamento de Proteção Social Básica, Juliana Fachinelli, a marcação às quintas otimiza o serviço oferecido à comunidade. “Estamos falando de atendimentos que demandam tempo. Um novo cadastro no CadÚnico, por exemplo, leva uma hora para ser realizado”, pontuou. Os servidores também se dedicam a atender aos usuários agendados para o dia, além das demandas relacionadas ao Benefício de Prestação Continuada (BPC), distribuição de cesta básica, acompanhamento familiar e outros assuntos.

A secretária de Desenvolvimento Social, Gicele Gomes, acompanhou o trabalho nesta quinta-feira desde cedo. “Em virtude do Auxílio Brasil, houve um aumento da demanda considerável, o que nos fez adotar novas estratégias para melhorar o atendimento à comunidade, como abrir mais cedo, triagem na fila e fim do revezamento decorrente da pandemia entre os servidores”, frisou a secretária.

Para quem recebia o Bolsa Família, o pagamento do Auxílio Brasil será automático e seguirá o calendário habitual do programa anterior, com início em 17 de novembro, segundo o Governo Federal. Quanto aos ingressantes no CadÚnico, não é possível afirmar quando as novas famílias receberão o repasse.

Auxílio Emergencial mineiro – A Seds esclarece que para receber os R$ 600 em parcela única do Auxílio Emergencial mineiro, a família em situação de extrema pobreza deveria estar registrada no CadÚnico em 22 de maio de 2021. Ou seja, a família que ingressou no sistema após essa data não tem direito ao Auxílio.

Confira outras notícias: