Previous
Next
Previous
Next

Cultura e turismo são tema de seminário que enfatizou o potencial do Projeto Geoparque de Uberaba

Compartilhe este post

O 1º Seminário de Turismo e Cultura de Uberaba realizado nesta segunda-feira (10) contou com a participação de empresários do trade turístico, gestores públicos dos municípios que integram o Circuito Regional Rota do Triângulo, voluntários do Projeto Geoparque, agentes culturais e representantes de instituições parceiras como Sebrae, Senar, Sindicato Rural, ABCZ, UFTM e Emater.

O presidente da Fundação Cultural, Cássio Facure, destacou o momento histórico que Uberaba está vivendo e que é importante as pessoas entenderem a transformação que vai acontecer no Município e região. “A possibilidade de o Município se tornar um geoparque é algo ímpar que trará um “boom” de desenvolvimento e oportunidades infinitas para toda a região, assim que conseguirmos essa chancela”, ponderou.

Representando a prefeita Elisa Araújo, o secretário de Desenvolvimento Econômico, Turismo e Inovação, Rui Ramos, destacou que já foram incentivadas quase 50 novas empresas em Uberaba, com geração de 5 mil postos de trabalho, o que colocou o Município no ranking de cidades que mais geraram empregos no estado de MG, perdendo apenas para Belo Horizonte. Ele destacou que esse crescimento é alavancado muito pelo turismo e a cultura. “O Geoparque é um desafio que vem agregar ao desenvolvimento e à geração de renda para a população”, pontuou.

O presidente do Sindicato Rural de Uberaba, Marco Túlio Prata, destacou que o sindicato sempre acreditou muito no turismo de toda a região. “Temos um potencial muito grande e é essencial que estejamos juntos trabalhando para emplacar o Projeto Geoparque, e para isso é preciso que a gente respire turismo e respire o Geoparque. Temos muito mais do que várias cidades já estabelecidas no turismo. De acordo com o Citur, foi gratificante ver tantas pessoas reunidas para esse trabalho. Com certeza, o Município só tem a ganhar”, enfatizou.

O reitor da Universidade Federal do Triângulo Mineiro (UFTM), Luís Fernando Resende do Santos Anjo, destacou o trabalho desenvolvido pela UFTM para dar corpo ao Projeto Geoparque e lembrou da visita realizada à região do Seridó para entender a chancela da Unesco para a região. Reforçou, ainda, que esteve em Brasília onde fez contatos para tratar da Carta de Intenções enviada por Uberaba à Unesco. “Vamos seguir trabalhando para fortalecer o Geoparque e trazer desenvolvimento para essa região. Uberaba está localizada em um lugar estratégico e isso, com certeza, conta a nosso favor. A UFTM segue contribuindo no que for preciso para alavancar essa iniciativa”, afirmou.

Representando o presidente da ABCZ, Rivaldo Machado Borges Jr., o prof. Luís Carlos Ribeiro reforçou que o Seminário foi um momento para trocar ideias e seguir construindo essa proposta de forma a tornar Uberaba um projeto internacional. “O Geoparque vai se tornar tão gigante quanto os nossos dinossauros, Zebu e Chico Xavier”, enalteceu.

O diretor do Sebrae, William Rodrigues de Brito, destacou os investimentos já realizados no turismo na cidade e região, lembrando do sucesso recente do Festival Gastronômico de Uberaba. “O Sebrae vai continuar investindo muito nesse potencial. O Geoparque Uberaba anda a passos largos e o Seminário ajudou na troca de experiências. Tivemos neste evento uma oportunidade enorme para a Terra de Gigantes conseguir ampliar ainda mais o seu conhecimento”, afirmou.

Realizado no Sindicato Rural de Uberaba, o evento foi promovido pelo Governo Municipal, por meio da Fundação Cultural de Uberaba e da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Turismo e Inovação, Projeto Geoparque Uberaba, Sebrae, Universidade Federal do Triângulo Mineiro, Sindicato Rural de Uberaba, Citur -, e ABCZ. E contou, ainda, com o apoio Circuito Rota do Triângulo, Comtur, Convention Bureau e Sinhores.

Confira outras notícias: