Previous
Next

Denúncias de obras e serviços irregulares chegam a aproximadamente 4 mil em Minas Gerais

Compartilhe este post

População pode denunciar anonimamente obras irregulares pelo aplicativo Conecta Crea. Crédito: Divulgação Crea-MG

Conselho Regional de Engenharia e Agronomia de Minas Gerais (Crea-MG) registrou média de 15 denúncias de construções ilegais no estado por dia em 202
População pode denunciar anonimamente obras irregulares pelo aplicativo Conecta Crea. Crédito: Divulgação Crea-MG
Com a chegada do período chuvoso e alertas geológicos mais frequentes, eleva a preocupação quanto à necessidade de redobrar o cuidado nas construções. Obras sem acompanhamento técnico, ausência de Anotação de Responsabilidade Técnica (ART) e empresas sem registros no Conselho Regional de Engenharia e Agronomia de Minas Gerais (Crea-MG) não apenas flertam com a ilegalidade, mas também se tornam potenciais palcos de tragédias.
De janeiro a setembro de 2023, foram contabilizadas 3.994 queixas de infrações no estado, segundo o Crea-MG. Dessas, 355 foram feitas por meio do aplicativo Conecta Crea, que empodera os cidadãos, permitindo-lhes denunciar anonimamente irregularidades em projetos de engenharia, agronomia e geociências.
“É muito importante contarmos com o apoio de toda a sociedade. Assim, aprimoramos ainda mais o nosso trabalho, que é o de coibir o exercício ilegal das profissões, preservando vidas e patrimônio”, afirma o presidente do Crea-MG, engenheiro civil Lucio Fernando Borges.
O aplicativo, disponível gratuitamente para os sistemas Android e iOS, não é apenas uma ferramenta de denúncia. Ele também serve como um portal para os usuários verificarem a integridade de profissionais e empresas, além de acessar protocolos de solicitação de serviços. Para os profissionais, o aplicativo oferece um espaço dedicado, permitindo-lhes monitorar as ARTs, boletos gerados, certidões solicitadas e relatórios de infração. 
“Essa é mais uma ferramenta para a população ter certeza de que está contratando serviços de profissionais e empresas registrados e devidamente habilitados. A população não deve ficar exposta aos riscos advindos de serviços técnicos sendo desempenhados por pessoas sem atribuição e sem habilitação legal”, ressalta o presidente do Crea-MG.

Confira outras notícias: