Dia dos Solteiros: o que é a data chinesa de promoções que chega ao Brasil

Compartilhe este post

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Embora o nome não tenha caído no gosto dos consumidores brasileiros, promoções devem ser vistas por aqui também nesta quinta-feira

Dia dos Solteiros: o faturamento global chegou a US$ 74 bilhões (R$ 406 milhões) no ano passado (Wang Gang / Costfoto/Barcroft Media/Getty Images)

Em meio à disputa do e-commerce entre as varejistas brasileiras e as gigantes asiáticas, uma nova data comercial ganha força a cada ano: o Dia dos Solteiros, celebrado nesta quinta-feira na China.

Ainda que o evento seja mais voltado para o e-commerce e os jovens, especialistas veem espaço para abocanhar novos mercados. E, para não deixar a mercadoria encalhar, descontos não bastam: as varejistas recorrem a campanhas com celebridades, cashback, frete grátis e lives.

Conhecido como 11.11 ou Double Eleven (duplo onze), a data, que já existia na China, foi popularizada pela gigante do varejo chinês Alibaba.

Lá, se tornou tão forte que, no ano passado, o faturamento global chegou a US$ 74 bilhões (R$ 406 milhões), “mais de oito vezes tudo que todos os e-commerces venderam na Black Friday”, diz Felipe Zmoginski, chefe de comunicação do AliExpress.

No Brasil, apesar de o consumidor ser seduzido pelas ofertas, o nome não pegou.

— No Brasil, as pessoas, em geral, não têm orgulho de serem solteiras, é um país relacional. Mas isso pode ser ressignificado. Trazer essa cultura oriental ainda é muito recente, estamos começando a experimentar o marketplace chinês, então, as marcas estão trazendo uma nova data comercial com outro nome — explica a professora de pesquisa e comportamento do consumidor da ESPM Rio, Karine Karam.

Reforço na logística

De fato, exceto pela AliExpress, do Alibaba, as outras marcas não atrelam suas promoções ao dia. Chamam de “esquenta”, remetendo à Black Friday, que este ano será no próximo dia 26.

Para Thiago Godoy, coordenador de educação financeira da Xpeed School, o evento é uma síntese da força do mercado asiático, que está só no início da conquista de espaço no Brasil. Ele avalia que há muito espaço para crescer no mercado nacional:

— O brasileiro não gosta do Dia dos Solteiros, mas sim do desconto. Há um espaço para as empresas venderem mais. Lá fora a data está muito ligada ao jovem e à inovação. Mas vejo oportunidades para várias idades e outros produtos, como itens de autocuidado.

Uma pesquisa feita pela plataforma Promobit mostra que, este ano, a preferência de compra para o Dia dos Solteiros inclui eletrônicos e gadgets, itens para casa inteligente, smartphones, utensílios domésticos e games.

A AliExpress, que considera a data mais relevante que a Black Friday, reforçou sua logística de distribuição e promete descontos. A gigante asiática projeta que este ano será melhor do que 2020, já que em agosto abriu sua plataforma a vendedores brasileiros.

Outra plataforma asiática forte no Brasil, a Shopee, de Cingapura, diz não ter nada específico para a data. Mas, sob o nome de Esquenta Black Friday, hoje haverá frete grátis sem mínimo de compras e R$ 3 milhões em vouchers de desconto.

Confira outras notícias: