Previous
Next

Genealogista faz pesquisa no APU para contar histórias de famílias judaicas em Minas Gerais

Compartilhe este post

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

O Arquivo Público de Uberaba (APU) recebeu, nesta sexta-feira (8), o pesquisador/genealogista Eduardo Carvalho Ribeiro, que hoje mora em Portugal, precisamente na Ilha da Madeira. O pesquisador, que está na cidade há um mês, tem visitado pessoas da região, e também o APU, para identificar histórias de famílias judaicas em Minas Gerais.

Eduardo revelou que em suas pesquisas busca documentos de famílias judaicas, especificamente por judeus, portugueses e espanhóis. O recorte temporal do estudo tem início no século XV.

O genealogista ainda destacou a organização e o cuidado com que os documentos históricos são tratados no Arquivo. Para ele, o grande diferencial existente entre uma biblioteca e o Arquivo Público é que “a documentação é tratada por especialistas”, afirmou.

Ele deu uma dica de ouro para quem quer conseguir cidadania europeia, por meio da Lei Portuguesa 30A/2015. Segundo a lei, os descendentes de judeus sefarditas, expulsos de Portugal por D. Manoel, a partir de 1496, poderiam, se quisessem, conseguir “a aquisição da nacionalidade portuguesa por naturalização, e sua integração na comunidade nacional, com os inerentes direitos e obrigações”, conforme destaca o decreto em seu parágrafo 15.

“A maioria dos brasileiros é de descendentes de judeus sefarditas, portugueses ou espanhóis”, ressaltou Eduardo. Sendo assim, muitos brasileiros têm direito à cidadania portuguesa e não sabem. Isso facilitaria, por exemplo, viagens ao exterior, e, também, aos Estados Unidos, uma vez que o passaporte europeu é mais respeitado.
O objetivo do pesquisador, em longo prazo, é a publicação de um livro, extenso e único, sobre genealogia. “Isso porque eu faço pesquisas em documentos e livros muito raros”, disse Eduardo.

Leitor(a): se o seu sobrenome consta na relação abaixo, pode ser que você tenha direito à cidadania europeia:

Abrantes, Aguilar, Andrade, Brandão, Brito, Bueno, Cardoso, Carvalho, Castro, Costa, Coutinho, Dourado, Fonseca, Furtado, Gomes, Gouveia, Granjo, Henriques, Lara, Marques, Melo e Prado, Mesquita, Mendes, Neto, Nunes, Pereira, Pinheiro, Rodrigues, Rosa, Sarmento, Silva, Soares, Teixeira e Teles

Almeida, Avelar, Bravo, Carvajal, Crespo, Duarte, Ferreira, Franco, Gato, Gonçalves, Guerreiro, Leão, Lopes, Leiria, Lobo, Lousada, Machorro, Martins, Montesino, Moreno, Macias, Oliveira, Pardo, Pina, Pimentel, Pizarro, Querido, Rei, Ribeiro, Salvador, Torres e Viana

Amorim, Azevedo, Álvares, Barros, Basto, Belmonte, Cáceres, Caetano, Campos, Carneiro, Cruz, Dias, Duarte, Elias, Estrela, Gaiola, Josué, Lemos, Lombroso, Lopes, Machado, Mascarenhas, Mattos, Meira, Mello e Canto, Mendes da Costa, Miranda, Morão, Morões, Mota, Moucada, Negro, Oliveira, Osório (ou Ozório), Paiva, Pilão, Pinto, Pessoa, Preto, Souza, Vaz e Vargas

Contatos do pesquisador/genealogista Eduardo Carvalho Ribeiro:
https://www.facebook.com/groups/603418636804903 https://www.facebook.com/eduardo.ribeiro.739

Link da Lei/Decreto:
https://dre.pt/home/-/dre/66619927/details/maximized?serie=I&dreId=66619925

Confira outras notícias: