Mais de uma tonelada de carnes apreendidas nas churrascarias fiscalizadas na operação Brahman

Compartilhe este post

Fotos: Divulgação
Alimentos má acondicionados e impróprios para o consumo foram encontrados pela PC

Durante as vistorias nas duas churrascarias na sexta fase da operação ‘Brahman”, mais de uma tonelada de carnes impróprias para o consumo foram apreendidas. Os proprietários e gerentes dos dois estabelecimentos foram levados para a penitenciária.
De acordo com informações obtidas pela Folha Uberaba, durante entrevista coletiva da Polícia Civil na manhã de hoje (05) sede da Delegacia de Repressão á Crimes Rurais, as fiscalizações aconteceram ontem (04) em uma churrascaria na avenida Tonico dos Santos no Parque das Américas e em outra na Praça Vicentino Rodriugues da Cunha no bairro São Benedito.
Segundo o delegado de Polícia Civil Tiago Cruz, as equipes de policiais civis e agentes de vigilância sanitárias compareceram no local após as equipes da PC durante as investigações descobrirem que alguns agentes da vigilância sanitária em Uberaba, estariam repassando informações para os proprietários das churrascarias alvos e inclusive evitando que esses comércios fossem fiscalizados. O delegado disse ainda que essas pessoas recebiam dinheiro, carnes e até “presentes” dos empresários pelas ações criminosas, então após as constatações do repasse de informações, as equipes decidiram realizar as fiscalizações.
Durante os trabalhos de verificações na churrascaria da avenida Tonico dos Santos, foram encontrados quase uma tonelada de carnes impróprias para o consumo humano. Eles ainda encontraram carnes que foram congeladas e descongeladas e eram servidas para os clientes na pista durante os rodízios, além de produtos más acondionados. Os dois proprietários do comércio e o gerente foram presos em flagrante. Já no outro estabelecimento, as equipes encontraram cerca de cem quilos de carnes impróprias para o consumo, além de alimentos fora do prazo de validade de um bloco de vouchers que eram distribuídos para os clientes. Nesse loca a proprietária e o gerente foram detidos. Todos foram levados até a Delegacia de Repressão á Crimes Rurais de Uberaba, onde prestaram depoimentos e em seguida foram encaminhados para a penitenciária Professor Aluízio Ignácio de Oliveira.
Ainda segundo o delegado, durante um ano de investigações, os policiais identificaram 26 pessoas sendo 14 empresários, 7 agentes de vigilância sanitária, sendo que três foram substituídos, dois veterinários e quatro suspeitos de furto e receptação.

Tiago ressaltou que o inquérito será encaminhado para a justiça e todos eles serão indiciados por vários crimes como associação criminosa, peculato, prevaricação, tráfico de influência, furto, receptação, abate clandestino de animais bovinos e porte ilegal de arma de fogo.

Confira outras notícias: