Memorial Chico Xavier e UFTM promovem “Volta Grande + Cultura” no sábado

Compartilhe este post

A primeira edição do “VG + Cultura”, realizada pelo curso de Terapia Ocupacional da Universidade Federal do Triângulo Mineiro (UFTM), em parceria com o Memorial Chico Xavier e apoio da Refrigerantes Golé e da Cascata Sorveteria, acontece neste sábado (4), a partir das 14h. O evento contará com oficinas, pipoca, algodão doce, refrigerante, picolé, brinquedos para crianças, apresentações artísticas e do Circo do Povo. A cabine do projeto “O que vivi com Chico” estará montada para receber depoimentos no local. Realizado na sede do Memorial, na Avenida João XXIII, 2.011, o evento tem como público-alvo a comunidade da região do bairro Volta Grande.    

A abertura contará com apresentação de flauta e poesia com Morleno Jr. e Ana Elisa, moradores do bairro. Em seguida, acontece a roda de conversa “Cultura e memória: entrelaços solidários”, com a participação de convidados residentes do bairro, entre eles o presidente da associação do bairro, Éderson (Nenê); o artesão Benedito Maria Ferreira; Maria Demercí Ferreira; Cláudio e Joana Darc da Silva, umas das primeiras moradoras do Volta Grande. A mediação ficará por conta da Profa. Dra. Cláudia Monteiro, terapeuta ocupacional e docente da UFTM.

O evento terá apresentações artísticas e culturais, entre elas, dos oficineiros Circo do Povo, da Companhia de Reis Água Santa, da Bateria Cachorrada (Direito – Uniube) e encerramento com Os Músicos, com Talinho e banda, tocando samba de raiz e MPB. Haverá, ainda, brinquedos, pipoca, algodão doce, picolé e oficinas para crianças e jovens, exposição de materiais produzidos por moradores, além de mostra das ações desenvolvidas ao longo do semestre do curso de Terapia Ocupacional e do projeto de revitalização do Memorial.

Memorial de todos – A proposta do “VG + Cultura” é promover a acessibilidade cultural e democratização da cultura sob preceitos da nova museologia, apresentar ações desenvolvidas na comunidade durante o semestre e aproximar o bairro do espaço museológico. “A intenção é que a comunidade se sinta pertencente ao equipamento e que tenha acesso ao Memorial, já que ele não deve ser um espaço elitizado”, explicou Cláudia Monteiro, que coordena o projeto.

“Por falta de recursos, as ações de inserção do Memorial junto à comunidade sempre foram muito incipientes. A parceria com o curso de TO visa corrigir essa grave falha e já vem apresentando excelentes frutos na apropriação da comunidade junto deste que é o primeiro equipamento cultural da região”, finalizou o diretor do MCX, Carlos Vitor Silveira.

Confira outras notícias: