Outubro Rosa promove um olhar para a comunidade LGBTQIAP+

Compartilhe este post

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Nesta quarta-feira (6), o Governo Municipal promoveu o evento “Outubro Rosa: um olhar para a comunidade LGBTQIAP+”, abrindo um diálogo com a comunidade para ouvir as demandas de saúde e apresentar os serviços disponíveis na rede. A prefeita Elisa Araújo pontuou a importância de trazer orientações para a saúde e cuidado da comunidade LGBTQIAP+, principalmente porque muitos não têm acesso ao sistema de saúde e um diagnóstico precoce é algo que auxilia na cura e a salvar vidas.

“Precisamos direcionar os nossos cuidados e atenção para esse público também. Nossos esforços são para buscar o acesso à saúde de todos. Recentemente, tivemos uma reunião em que nos foi solicitado um tratamento mais humanizado e já estamos trabalhando para atender a essa demanda. Nosso governo está à disposição para contribuir com a causa e dedicado a melhorar o atendimento de todos”, destacou Araújo.

Apresentando uma contextualização dos serviços da Secretaria de Saúde para o público LGBTQIA+, a secretária adjunta de Saúde, Valdilene Rocha, destacou que atender a comunidade é de extrema necessidade e chegou em uma hora muito oportuna, uma vez que o governo está de portas abertas e a Secretaria de Saúde está montando o Plano Municipal de Saúde de 2022 até 2025. “Tivemos a oportunidade de ouvir esse público e inserir as propostas dele no Plano Municipal de Saúde e já iniciar os trabalhos para melhor a assistência em saúde que oferecemos para essa parcela da população”, pontuou Rocha.

O evento seguiu com uma palestra: “Cuidados com a saúde: risco de hormonioterapia”, com o endocrinologista Marco Fábio, seguida por uma mesa-redonda: “Outubro Rosa: saúde do público LGBTQIA+”, composta pelos representantes do Movimento Trans, Skarlet Schynider, e dos Homens Trans, Bernardo Gael Martins, pela diretora de Atenção Psicossocial, Sandra Pimenta, e pela chefe do Departamento de Vigilância Epidemiológica, Larissa Bandeira de Melo Barbosa, que mediou o diálogo.

Gael Martins destacou a importância da cidade estar mostrando abertura para ouvir as demandas da comunidade e reforçou a necessidade de atendimento e tratamento mais humanizado na Saúde, com espaço e equipe capacitada para atender ao público de forma digna. Skarlet Schynider destacou que esse é um passo grande para a população LGBT, destacando que em nenhuma outra gestão se teve tanto acolhimento como eles estão tendo nesta gestão.

A reivindicação da categoria é por um ambulatório especializado no atendimento desse público LGBTQIAP+, tendo em vista que muitos têm o costume de se automedicarem, sendo elas mesmas suas próprias conselheiras de saúde e fazendo dos farmacêuticos os seus médicos. “É uma necessidade muito grande que a gente tenha um amparo, um carinho com atendimento com profissionais especializados, que vai ter um olhar mais carinhoso para a população e para mulheres e homens trans”, ressaltou Schynider.

Confira outras notícias: