PMU finaliza critérios para retomada de cirurgias eletivas

Compartilhe este post

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

O Governo Municipal finalizará até esta quinta-feira (15) critérios para a retomada de cirurgias eletivas, tendo em vista os índices decrescentes dos indicadores da Covid-19, monitorados semanalmente na cidade. Os detalhes desses critérios ainda estão sendo fechados pelos técnicos da Secretaria de Saúde, com base nos dados disponíveis e em conversas com as instituições hospitalares públicas e privadas.

Nesta quarta-feira (14), o secretário municipal de Saúde, Sétimo Bóscolo Neto, coordenou uma reunião entre a equipe técnica da pasta e os hospitais do Município para avaliar a proposta de retomada das intervenções eletivas. Em outra reunião com representantes do Poder Legislativo foi apresentado o estudo para a retomada das eletivas bem como a proposta de reequilíbrio dos leitos hospitalares no Município.

Um dos requisitos para a retomada das cirurgias eletivas é que a Taxa de Ocupação de Leitos de UTI-Covid esteja abaixo de 60%, considerando a capacidade total de leitos UTI-Covid que o Município possui. No início da pandemia, este tipo de cirurgia foi suspenso com base na ocupação de leitos de UTI-Covid acima de 60%, conforme plano de contingência, em fevereiro de 2021. Portanto, a Saúde faz agora o caminho inverso. O índice continua sendo apurado toda quinta-feira para efeito da liberação ou não das eletivas.

Na última terça-feira (13), o índice de ocupação hospitalar ficou em 63%, informou o coordenador do Complexo Regulador da Secretaria de Saúde, Iralio Ferreira Fedrigo, que participa dos ajustes para a liberação das eletivas.

“Vamos retomar as cirurgias eletivas com toda a cautela necessária, neste primeiro momento, pois ainda estamos vivendo a pandemia, o que exige todo o cuidado com os pacientes. Nós também sabemos que algumas situações consideradas eletivas há um ano, hoje se tornaram urgências e estão pressionando a rede hospitalar em nossa cidade”, manifestou Iralio Fedrigo.

O paciente agendado para cirurgia terá que fazer Teste Rápido de Antígeno para se evitar contaminação em ambiente hospitalar pela Covid-19. É uma forma de se resguardar também os pacientes.

Importante ressaltar que a Secretaria de Saúde vai analisar, constantemente, a possibilidade de autorizar a ampliação de leitos para cirurgias eletivas. “Vamos levar em conta os índices analisados rotineiramente pela Saúde e, havendo possibilidade, voltaremos a tratar com os hospitais possível ampliação do número de cirurgias. A necessidade de retração também será observada”, explicou Iralio Fedrigo.

Confira outras notícias: