Previous
Next

Prefeita recebe associação que propõe reciclagem de vidro em Uberaba

Compartilhe este post

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

O vidro é um material que leva um milhão de anos para se decompor na natureza, e sua reciclagem em Uberaba foi tema de reunião realizada nesta sexta-feira (3) com a prefeita Elisa Araújo, o vereador Luizinho Kanecão e representantes da Associação dos Recicladores e Catadores Autônomos (Arca) de Uberlândia e representante do Departamento Municipal de Água e Esgoto daquela cidade. Além de trazer o know how no recolhimento e tritura desse material, vendido para a indústria, a entidade veio buscar parcerias e apoio do Governo Municipal, como a cessão de área para instalação de ponto de coleta e maquinário para processamento do vidro.

A prefeita recebeu com entusiasmo a ideia, tendo em vista que uma das metas de seu governo é atingir até 80% da coleta seletiva de lixo no Município até o final do mandato. “Ficamos muito felizes de ver uma associação que já trabalha nisso em outra cidade, querendo agregar esse serviço para a nossa região. Isso porque com a destinação correta do vidro, quem ganha é o meio ambiente”, destacou.

 A reunião foi agendada pelo vereador Luizinho Kanecão que conheceu o trabalho da associação e sua importância social e ambiental, na cidade vizinha. “Precisamos viabilizar a área para que o trabalho de catar e reciclar o vidro seja realizado em Uberaba, deixando assim de ser descartado irregularmente, poluindo o meio ambiente”, disse.

O representante da Associação em Uberaba, Luis Fernando da Silva, informou que já existe uma caçamba para o recolhimento do vidro em Uberaba, provisoriamente instalada no Jardim Maracanã.

Segundo o presidente da Arca, João Batista Ferreira dos Passos, em Uberaba, é possível realizar um amplo trabalho com várias parcerias com o Poder Público, Codau, Cooperu, empresas, etc. “Unindo as nossas forças todos ganham, principalmente a cidade de Uberaba, com benefícios sociais e ambientais”, afirmou.  

Ele observou que o “catador” de recicláveis, em sua maioria, não trabalha com o vidro, que além de volumoso e pesado, quando em pequena quantidade, não traz retorno financeiro adequado. Mas além do lucro, afirmou João Batista, “nosso compromisso é social e ambiental”.  

A Arca tem uma parceria com empresa de Porto Ferreira (SP) que fornece as caçambas com até 22 toneladas de vidro a cada mês. Ali o material é beneficiado e se torna outro tipo de vidro. A Associação recebe R$135 a tonelada, e a empresa se encarrega do transporte do material.

O secretário do Meio Ambiente, Carlos Delfino Pereira, lembrou que a área a ser disponibilizada precisa ser apropriada para receber, beneficiar, armazenar e transportar esse vidro, que tem impacto ambiental.  E acrescentou que essa pode ser uma oportunidade ímpar para que Uberaba possa vir a se tornar um polo regional de industrialização de vidro. “Temos o exemplo da indústria de papelão reciclado, que já realidade no Município”, afirmou.  

Um segundo encontro será agendado pela Secretaria de Serviços Urbanos e Obras com a Cooperativa dos Recolhedores Autônomos de Resíduos Sólidos e Materiais Recicláveis de Uberaba (Cooperu), que já é parceira da Prefeitura nos ecopontos. O secretário adjunto Pedro Arduini frisou que a empresa que gerencia esses locais, ao ser contratada também firmou parceria com a entidade.

Segundo o engenheiro ambiental do Departamento Municipal de Água e Esgoto (Dmae), Artur Rosa Públio, que também participou da reunião, naquela localidade o recolhimento de vidro subiu de 10 toneladas/mês em 2018, para 110 ton/mês em 2021. A coleta seletiva naquele Município, em dois anos, saiu de 46% para quase 85%, informou.

Junto às associações o objetivo é promover a inclusão social desses catadores de recicláveis. “A reciclagem do vidro retira esse material que demora um milhão de anos para se decompor na natureza, para gerar trabalho e renda”, concluiu Artur.

Confira outras notícias: