Prefeitura Municipal ajusta plano de contingência hospitalar para acelerar atendimento a pacientes não-Covid

Compartilhe este post

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

O Governo Municipal faz ajustes na estratégia montada com os hospitais de retaguarda para acelerar o atendimento a pacientes não-Covid. Nesta segunda-feira (14), a Secretaria de Saúde iniciou um esforço para concentrar as internações de pacientes atendidos pelo SUS com Covid no Hospital Regional (HR), informou o titular da pasta, Sétimo Bóscolo Neto. Segundo ele, o Regional irá operar com capacidade máxima de leitos de Clínica Médica (enfermaria), dando início a abertura de mais 18 leitos e saltando de 103 para 121 leitos.

Este ajuste remanejará pacientes Covid em atendimento na Clínica Médica do Mário Palmério Hospital Universitário (MPHU) para o HR, liberando vagas a pacientes não-Covid. “Estes são os pacientes que, hoje, nos preocupam mais que os acometidos por Covid, no tocante à deficiência de leitos”, salienta Bóscolo.

Na manhã dessa sexta-feira, o secretário de Saúde tratou do assunto com o diretor clínico do HR, médico Diego Amad Reck, com o diretor administrativo, Frederico Guglielmi Ramos e com o diretor clínico do MPHU, médico Galvani Salgado Agrelli, enquanto recebiam nas duas instituições hospitalares 12.120 garrafas d’água, doadas pela empresa Uberlândia Refrescos Ltda.

A concentração dos leitos Covid no Regional se dá pela indicação de desaceleração na demanda por tratamento da doença. “Os números indicam que a Covid se estabilizou em Uberaba, embora em patamar alto de contaminação e de hospitalização”, registrou Bóscolo Neto. Por conta disso, a Secretaria de Saúde ainda não pode voltar a atender as cirurgias eletivas na rede pública, como é a expectativa de usuários do SUS.

O titular da Saúde advertiu: “os leitos ainda estão bastante comprometidos. Temos mais de duas dezenas de pacientes não-Covid nas UPAs (Unidades de Pronto Atendimento) aguardando internação nos hospitais.” Sétimo lembra outra “grande parceria” da SMS: o Hospital de Clínicas da UFTM, “que tem recebido pacientes na medida do possível, mas que vinha trabalhando com apoio do Regional no acolhimento a pacientes não-Covid, antes da pandemia”.

Confira outras notícias: