Previous
Next
Previous
Next

Procon municipal divulga nova pesquisa de preços dos combustíveis

Compartilhe este post

Última pesquisa de preços dos combustíveis no perímetro urbano realizada pela Fundação Municipal de Defesa do Consumidor (Procon), na quinta-feira (14), trouxe os valores e as variações no mercado de etanol, gasolina comum e aditivada e do diesel comum e S-10. Foram coletados preços em 47 estabelecimentos de revenda de combustíveis em vários bairros da cidade.

O litro de etanol mais barato foi encontrado por R$4,999, no Jardim Esplanada e o mais caro a R$5,599, nos bairros Leblon, Parque das Américas, São Benedito e Estados Unidos. O litro mais caro da gasolina aditivada foi encontrado no bairro São Benedito por R$7,798 e o mais barato a R$7,349 no bairro Estados Unidos. Já a gasolina comum está sendo vendida ao maior preço de R$7,699 nos bairros Abadia, Parque do Mirante, Jardim Esplanada e Antônia Cândida.

O preço mais barato para o diesel foi de R$6,499 no bairro São Cristóvão e o mais caro a R$6,899, no bairro Estados Unidos. Enquanto isso, para o diesel S-10 o menor valor encontrado foi no bairro Santa Maria por R$6,499 e o litro de valor mais alto foi de R$6,999 nos bairros Leblon, Parque do Mirante, Lourdes, São Cristóvão, Estados Unidos e centro.

Variação – A pesquisa anterior foi dia 8 de abril. De lá até a pesquisa do dia 14 (quinta-feira passada) a maior variação do preço médio foi do etanol que subiu 9,01% passando de R$5,033 para R$5,436. O único item com variação negativa do preço médio na bomba foi o diesel em -0,10%, caindo de R$6,699 para R$6,692. O valor médio da gasolina comum subiu de R$7,403 para R$7,524 (1,63%) e da gasolina aditivada passou de R$7,492 a R$7,572 (1,07%). O custo médio ao consumidor do diesel S-10 subiu de R$6,822 para R$6,831 (0,13%).

O chefe da Seção de Fiscalização e Acompanhamento de Preços do Procon Municipal, Humberto Raphael de Souza, ressaltou o princípio constitucional da livre concorrência. Ele afirmou que, dessa forma, a competência para regular o preço dos combustíveis é da Agência Nacional do Petróleo (ANP). Conforme Humberto, cabe ao Procon fiscalizar os revendedores quanto a infrações relacionadas à falta de informações, emissão de documentos fiscais, prazo de validade dos produtos, licença ambiental e certificados de registro junto aos órgãos competentes. A pesquisa completa pode ser acessada no link do Procon no site da Prefeitura www.uberaba.mg.gov.br

Confira outras notícias: