Sesurb realiza Análise Gravimétrica de Resíduos Sólidos em ecopontos e bota-foras na cidade

Compartilhe este post

A Prefeitura de Uberaba, por intermédio da Secretaria de Serviços Urbanos e Obras (Sesurb), realiza um estudo de Gravimetria de Resíduos Sólidos em 25 pontos da cidade, sendo 11 ecopontos e 14 áreas de bota-fora. Com isso, serão dimensionados o volume e a variedade do que está sendo descartado em cada lugar, para traçar políticas públicas e novos parâmetros das ações da Pasta.
O titular da Sesurb, Anderson Passos, destacou alguns objetivos do trabalho, como planejar melhor os ecopontos, ampliar a fiscalização e abordar com mais propriedade a questão dos resíduos sólidos dentro do Plano Diretor Integrado, baseado nos 11 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS).
“Vamos ter um diagnóstico mais preciso da realidade dos resíduos sólidos em Uberaba, dimensionar novos ecopontos e adaptar os já existentes para melhor atender às necessidades locais, evitando o descarte em bota-foras”, disse.
Segundo a coordenadora do trabalho, engenheira ambiental da Sesurb, Jenniffer Cecília Noronha de Faria, o estudo gravimétrico servirá para propor caminhos por meio da educação ambiental e destinação ambientalmente adequada. Isso, levará à melhoria do processo de gestão de resíduos sólidos no município, em consonância com os princípios da Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS). Essa medida se dará em prol da saúde da população e para amenizar os impactos no meio ambiente devido à disposição inadequada.
Os estudos estão sendo realizados pela empresa Mais Ambiente – Engenharia e Consultoria Ambiental e deve durar cerca 30 dias até o relatório final, com investimentos de R$ 60 mil repassados pelo Ministério Público Estadual. Trata-se de uma parceria que envolve ainda a Universidade Federal do Triângulo Mineiro (UFTM) e Fundação de Ensino e Pesquisa de Uberaba (Funepu).
De acordo com a engenheira, em giro realizado pelos bota-foras da cidade, os técnicos observaram variação dos tipos e volumes de resíduos conforme região (periferia e centro), nível social dos munícipes do local, distância do bairro ao centro urbano, proximidade do local à área rural, presença de áreas verdes, etc. “Tal fato demandou o estabelecimento de ações, do ponto de vista legal e prático, por parte da esfera pública municipal para enfrentar essa situação e transformá-la em oportunidade para melhoria da política pública e gestão de RSU”.
A partir dos resultados de caracterização gravimétrica, serão apontados caminhos para incentivar a participação social de todos os atores envolvidos (catadores autônomos ou associados, cooperativas, como a Cooperu, sociedade civil, ONGs, empresas que trabalham com resíduos sólidos), em estratégias de destinação ambientalmente adequada para cada tipo de resíduo.
Já foram realizadas análises nos seguintes ecopontos: Ecoponto Volta Grande, Maracanã, Vallim de Melo, Jardim Califórnia, Residencial 2000, Paraíso, Estados Unidos, Amoroso Costa.
As áreas de bota-fora onde foram realizados estudos, até agora, são: Av. Aurora Fuzaro (Anatê), Av. E (via de acesso à ETE Conquistinha no Residencial 2000), Rodoanel Anel Viário em 6 pontos diferentes (um deles é ponto de descarte de moradores rurais), Rua Ari Luiz de Melo (Paraíso), Estrada para pedreiras (Jardim Eldorado) e Rua 15 (estrada acesso à pedreira, Residencial Maria Alice).
Nesta sexta-feira foram visitados bota-foras na Av. Dilma de Oliveira (captação do rio Uberaba), ecopontos Jardim Uberaba e Alfredo Freire.

Confira outras notícias: