Volta do aluno à sala de aula na rede municipal de ensino depende de autorização por escrito

Compartilhe este post

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Alunos que voltarão às aulas, presencialmente, na rede municipal de ensino precisam de autorização dos pais e/ou responsáveis. O documento está disponível nas escolas e Centros Municipais de Educação Infantil (Cemeis), onde deve ser preenchido e assinado.

O retorno às atividades pedagógicas presenciais na rede municipal de ensino será em três fases, a primeira, dia 4 de agosto.

Nesta data, retornam os alunos do pré-II (Educação Infantil) e dos 5ºs anos (Ensino Fundamental I), totalizando 4.651 educandos, que necessitam dessa autorização, bem como os alunos da Educação de Jovens e Adultos (EJA), menores de 18 anos, que também voltam nessa primeira fase.

A segunda fase do plano de retomada das atividades presenciais está prevista para o dia 16 de agosto, contemplando as turmas do 1º ao 4º ano do Ensino Fundamental I (8.744 alunos). Já a terceira, no dia 1º de setembro, inclui as turmas do 6º ao 9º ano do Ensino Fundamental II, com 7.615 educandos, e o pré-I (4 anos), que abriga 2.454 alunos.

Para todos eles, os pais e/ou responsáveis precisam autorizar a presença em sala de aula.

“É importante que os pais e responsáveis pelos nossos alunos se posicionem o quanto antes, a fim de que as unidades escolares se organizem, levando em conta o número de alunos presenciais e a legislação vigente, para que sejam respeitados critérios como distanciamento social”, pontuou a secretária de Educação de Uberaba, professora Sidnéia Zafalon.

Ela destacou que as unidades escolares da rede municipal de ensino já estão se organizando para o retorno, marcando lugares nas salas e pátios, por exemplo. Além disso, escolas e Cemeis também disponibilizarão álcool em gel aos alunos e servidores, sendo que todos deverão usar máscara tapando boca e nariz.

Os alunos que estiverem na unidade escolar terão três aulas diárias, enquanto aqueles que ficarão em casa, terão duas aulas remotas, também diariamente. A carga horária será complementada por meio de atividades virtuais e impressas, bem como nas aulas pela TV Câmara e canal da Semed no YouTube.

Sidnéia reforçou o papel da família para o sucesso do ensino-aprendizagem, também nesse momento de transição entre o modelo remoto e o híbrido. “Precisamos do apoio de todos”, defendeu a secretária, que reforçou: “O plano assegura às famílias o direito de escolha, se enviarão ou não seus filhos às aulas presenciais.”

Confira outras notícias: