Abrappitaya busca parceria com a prefeitura

Compartilhe este post

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

O Governo Municipal, por meio do secretário de Agronegócio, José Geraldo Celani, esteve reunido com o presidente da Associação Brasileira de Produtores de Pitaya (Abrappitaya), Sebastião Pinto de Almeida Neto, nesta segunda-feira (5). A proposta é de  parceria com o Governo Municipal, a fim de implantar projetos para popularizar a fruta, levando acesso ao pequeno produtor e às comunidades mais periféricas.

De acordo com Celani, o presidente solicitou ajuda para resolver algumas pendências, especialmente jurídicas, para regularizar e legalizar a Abrappitaya, primeiramente. Para ele, as perspectivas são bastante positivas, especialmente pela proposta da associação de plantar mudas em Cemeis,  para levar o fruto à mesa das famílias de baixa renda e à alimentação escolar, incluindo o pequeno produtor nessa cadeia.

A Abrappitaya tem sede em Uberaba e em 2019, contou Sebastião Neto, foi realizado o I Encontro Nacional dos Produtores. Após a regularização, ele pretende realizar mais um evento, em parceria com o Governo Municipal. O objetivo é fortalecer essa cultura local, tornando o Município referência na produção e comercialização da fruta. Atualmente, oito produtores cultivam pitaya na região, sendo que, no Brasil, somam cerca de 900 ao todo, já mapeados. “São todos pequenos produtores,  distribuídos por diversos estados”, disse.

Segundo Sebastião Neto,  trata-se de uma produção com baixo custo e fácil manejo, com grande retorno financeiro. Um hectare de pitaya, atualmente, rende cerca de R$ 200 mil de lucro líquido por ano. Ela tem alto valor no mercado, usada para exportação, sendo que no Brasil o preço da fruta é de cerca de R$ 99 (importada) e R$ 59 (nacional) o quilo.

A proposta do presidente da Abrappitaya é desenvolver um projeto piloto  junto aos Cemeis do Residencial 2000 e Rio de Janeiro. Nesses locais seriam cultivadas mudas pelos alunos, dando acesso às crianças e às famílias de baixa renda a esse produto altamente rentável e com grande valor agregado. “Da pitaya aproveita-se absolutamente tudo”, sentenciou.

Em parceria com o Instituto Federal do Triângulo Mineiro (IFTM) está sendo formado o primeiro banco de germoplasma para o melhoramento genético das plantas. O lançamento, informou, será no dia 18 de agosto e para o qual Sebastião Neto convidou a prefeita Elisa Araújo. Serão chamados os maiores pesquisadores de diversas universidades do país para participar, remotamente, trazendo 15 anos de estudos da pitaya, fazendo a transferência de tecnologia para Uberaba.  “Do mesmo modo que o Município é uma referência mundial de melhoramento genético do Zebu, queremos fazer o mesmo com a pitaya”, concluiu.

Participaram da reunião além do secretário e o presidente, o chefe da Seção de Desenvolvimento Rural da Sagri, Matheus Alves, a assessora Lúcia França de Almeida  e a especialista em serviços públicos Euzana Maria de Souza Resende. Eles darão prosseguimento aos trâmites para regularização da Associação.

Confira outras notícias: