Agronegócio já tem mais de mil horas máquinas trabalhadas em atendimento ao pequeno produtor

Compartilhe este post

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Em seis meses do atual Governo, a Secretaria Municipal do Agronegócio já realizou 1.051 horas máquinas trabalhadas, beneficiando dezenas de pequenos produtores rurais no Município. Dentre os serviços estão, por exemplo, preparo de solo e formação de canteiros.

Os serviços são coordenados pelo Departamento de Produção Agropecuária e executados pela Patrulha Rural da Sagri. De acordo com o diretor da pasta, Raoni Terra, de 4 de janeiro a 30 de junho, foram 1.051 horas máquinas trabalhadas, tendo beneficiado mais de 100 pequenos produtores. Outros 341 produtores receberam assistência técnica pela secretaria, através de agrônomos e de zootecnistas.

Segundo Raoni, dentre os serviços com tratores, a predominância é para o preparo de solo, seja com arados, grades e sulcadores, além de distribuidores de calcário e adubo. Mas há trabalhos também, acrescentou, para montagem de canteiros, roçados em pastagens, compactação de silos e distribuição de sementes.

O diretor enfatizou que, no princípio do ano, a Patrulha Rural dispunha de oito tratores. “Depois foi feito reparo em um que estava estragado e outros dois tratores foram adquiridos pela Sagri, sendo um por cessão da Secretaria de Estado da Agricultura e outro, através de emenda parlamentar do ex-deputado Tony Carlos. De modo que, hoje, a secretaria dispõe de 11 tratores para atender os pequenos agricultores, devendo aumentar este número com o conserto de outros”, relatou.

Para ser beneficiado com o serviço, Raoni Terra informou que o interessado deve procurar a Secretaria do Agronegócio, em razão da pandemia, por telefone mesmo, fazer o cadastro e agendar a prestação de serviço em sua propriedade. Na ocasião, salientou o diretor, o agricultor deverá efetuar a contribuição que varia de acordo com a potência do trator, atualmente no valor de R$50 a hora trabalhada do trator menor e R$75, a do maior.

O diretor de Produção Agropecuária ressaltou que a novidade, agora, é que o pagamento é feito com depósito direto em conta do Fundo Municipal de Máquinas (Fundomaq), em agência da Caixa Econômica Federal. “O funcionário da Sagri emite uma Guia de Arrecadação Municipal (GAM) com o valor do serviço e o produtor faz a quitação via depósito, sendo que uma via é devolvida à secretaria comprovando o pagamento,” explicou.

Raoni Terra entende que o programa é uma forma de o Governo Municipal ajudar aquele pequeno agricultor que não dispõe do equipamento e que dificilmente teria condições de alugar com particular. “Assim, ele contribui com uma quantia bem aquém do valor de mercado e a Prefeitura, com isto, fomenta o agro no Município, atendendo os pequenos produtores com máquinas, assistência técnica e aquisição de parte de suas produções”, argumentou o diretor.

Confira outras notícias: