Ciências em casa, é o que propõe a Escola Municipal Terezinha Hueb de Menezes

Compartilhe este post

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Projeto criado e desenvolvido pela equipe do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência (Pibid), da Universidade Federal do Triângulo Mineiro (UFTM), em parceria com a Escola Municipal Professora Terezinha Hueb de Menezes (EMPTHM) levou, literalmente, o laboratório de ciências para dentro da casa dos alunos.
Por isso mesmo, o projeto tem o sugestivo nome de “Meu laboratório, minha casa”. Os kits ciências são diversificados, contemplando áreas como biodiversidade, vida animal, sistema solar, meio ambiente e ecossistema fechado.

Os kits foram entregues, em mãos, para todos os alunos das turmas de 6° e 7º ano da unidade de ensino da rede municipal de Uberaba, que participam do Pibid.

“Fomos de porta em porta levar os kits”, contou a gestora da escola, Ana Lúcia Vieira, destacando que o objetivo do projeto é fomentar o ensino de ciências por investigação. Ainda de acordo com ela, este trabalho foi criado e desenvolvido com o apoio do Projeto Social Popular “Nossa Escola”.

Todo processo está sob a supervisão da professora Cristiane Monteiro dos Santos, sendo a coordenadora a também professora Catarina Teixeira. A equipe Pibid é formada pelos alunos Bruna Martins Cruvinel, Kharem Eduarda Miamoto Alves, Gabryelle Mendonça Campos, Gabriela Martins Ribeiro Silva, Daniela Santos de Carvalho, Jéssica da Cruz Menezes e Dariele Pavan da Silva.

“Nós, da Escola, estamos prontos para ser seus parceiros nesse processo de aprendizagem à distância”, diz mensagem anexa aos kits, que também pergunta aos alunos e familiares, se eles estão prontos para permitir a entrada da escola.

Como ponderou a gestora da Escola Municipal Terezinha Hueb de Menezes, para ser bem-sucedido, o projeto depende do envolvimento de todos, dedicação, paciência e compromisso. Ana Lúcia também explicou que esta é uma abordagem didática, desenvolvida por meio de atividades investigativas, nas quais os educandos são apresentados a uma situação-problema e a partir dela, devem investigar, buscar soluções e explicações para respondê-la.

Desta forma, os alunos desenvolvem a capacidade de observação dos processos naturais, sendo estimulados o senso crítico e a argumentação em relação às situações cotidianas, finalizou Ana Lúcia.

Confira outras notícias: