Coluna Via Digital

Compartilhe este post

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Por Lucia Camargo Nunes*

Novos City hatch e sedã sinalizam mudanças da Honda

Finalmente a Honda revelou informações detalhadas sobre a nova linha City no Brasil. São dois lançamentos que trazem mudanças importantes para a montadora japonesa: substituir o Fit, renovar o City e oferecer um substituto para as versões de entrada do futuro novo Civic, que deixa de ser feito no Brasil e será importado em 2022.

Serão produzidos em sua fábrica de Itirapina (SP) a evolução do sedã e o inédito, por aqui, hatchback. O três-volumes recebeu melhorias em tamanho, conforto, conteúdos e segurança, além de novo motor.

O City entra em pré-venda por a partir de R$ 108.300. O novo motor flex de 4 cilindros de injeção direta de 1,5 litro que rende 126 cv promete economia e eficiência. De acordo com a Honda, os testes do Inmetro indicam 13,1/15,2 km/l, na cidade e estrada com gasolina. A transmissão é a CVT.

A novidade entra em pré-venda a partir de 23 de novembro e tem previsão de chegar às lojas em janeiro.

Confira preços e versões:

City EX: R$ 108.300

City EXL: R$ 114.700

City Touring: R$ 123.100

Hatchback substitui o Fit

O hatchback, dizem os executivos da Honda, guarda mais semelhanças do que diferenças com o sedã. E evolui em relação ao monovolume Fit, agora em busca de um público mais jovem. Sem preços divulgados, entra em pré-venda em janeiro e tem previsão de estrear nas concessionárias em março de 2022.

A promessa é de que o City Hatchback tem um interior mais amplo, embora perca em espaço de porta-malas (268 litros) em relação ao Fit.

Com o mesmo motor 1.5 de 126 cv do sedã, consome com gasolina na cidade 13,3 km/l e na estrada 14,8 km/l.

A Honda ainda informou que, apesar da aposentadoria do Fit, a montadora mantém a produção do WR-V, que considera um SUV compacto.


Linha 2022 da Hilux tem novidades

A Toyota lança a linha 2022 da Hilux com algumas novidades. Uma delas é a aposentadoria da versão 2.7 flex de 163 cv, mantendo motor 2.8 turbodiesel de 204 cv, com opções de transmissão manual e automática, ambas de seis velocidades.

A picape feita na Argentina virá com a segurança reforçada no pacote Toyota Safety Sense (TSS). A versão SRX adicionou um sensor que detecta pedestres e ciclistas para o sistema de pré-colisão frontal e monitor de visão 360 graus. A SR, por sua vez, recebeu sensor de estacionamento dianteiro e traseiro.

As variantes SR, SRV e SRX passam a oferecer de série com ar-condicionado de duas zonas automático e digital, incluindo saída no banco traseiro.

Confira versões e preços:

Hilux Cabine/Chassi – R$ 208.090

Hilux Cabine Simples STD – R$ 215.490

Hilux Cabine Dupla STD – R$ 230.590

Hilux SR – R$ 257.490

Hilux SRV – R$ 273.990

Hilux SRX – R$ 306.990

Elétrico marca a reação da Citroën

Com novos produtos e agora sob o comando da Stellantis, a Citroën anunciou planos ambiciosos para o Brasil. Mais dois modelos serão produzidos na planta de Porto Real (RJ) ou na Argentina. Outra novidade é a importação do comercial e-Jumpy para o fim deste ano ou início de 2022, o primeiro do segmento 100% elétrico.

Batizado de Citroën 4 All, o plano é baseado em lançamentos nacionais e importados. Um deles será o novo C3, que será um SUV compacto com vendas no primeiro trimestre de 2022.

Já a rede de concessionárias será expandida das atuais 123 lojas para 175 já no próximo ano.

Novos somem e usados estão mais valorizados

O aumento dos preços dos carros zero-km e a falta deles nas concessionárias pressionam o mercado de veículos seminovos e usados.

De acordo com os Dados do Monitor de Variação de Preços da KBB Brasil, entre os veículos de 4 a 10 anos de uso, o modelo 2015 é o que teve a maior variação média em outubro, com 2,67%, enquanto os 2013 ficaram na outra ponta, aumentando 1,38%. No acumulado entre janeiro e novembro, a variação média deste grupo já passa dos 19%.  

Dos seminovos, quem mais puxou a alta nos preços foram os veículos na faixa dos 3 anos de uso, ano 2018, que oscilaram em 2,36% em média. A variação dos seminovos está perto dos 13%, de janeiro até outubro. 

Já entre os veículos novos, a variação média de outubro ficou em 1,38% de acréscimo. O resultado de outubro deixa os carros 2022 perto dos 15% de movimento inflacionário levando em conta os últimos 10 meses. 

*Lucia Camargo Nunes é economista e jornalista especializada no setor automotivo. E-mail: [email protected]

Confira outras notícias: