Grupo solicita apoio do Governo Municipal para Núcleo de Integração de Famílias Atípicas

Compartilhe este post

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

A prefeita de Uberaba, Elisa Araújo, reuniu-se com as responsáveis pelo projeto “Instituto Integração de Famílias Atípicas”, por intermédio da vereadora Rochelle, para dialogar sobre a proposta de criar uma rede de atendimento especializado para portadores do Transtorno de Espectro Autista (TEA) e famílias atípicas. A reunião foi acompanhada pela secretária de Governo, Indiara Ferreira, e pela secretária de Desenvolvimento Social, Gicele Gomes.

A reunião contou com a presença da enfermeira Fernanda Beatriz, da psicopedagoga Ieda Jesus e da enfermeira Priscila Amaral. Elas integram o grupo de pessoas de Uberaba que vivem no dia a dia os desafios de conviver em uma família atípica.

As representantes iniciaram o encontro falando sobre a importância da publicação do decreto que regulamenta que servidor municipal efetivo que tem filho com deficiência, que exija cuidados específicos, solicite jornada especial de trabalho, sem compensação de horários ou prejuízo ao vencimento.

Na sequência, apresentaram o projeto que sugere ações integradas entre a Secretaria de Desenvolvimento Social, a Secretaria Municipal de Saúde, a Secretaria Municipal de Educação, a Companhia Habitacional do Vale do Rio Grande (Cohagra) e também a Casa do Servidor para formar um núcleo de apoio jurídico, administrativo, psicológico e médico para as famílias.

O grupo também solicitou o levantamento dos dados de pessoas atípicas em Uberaba. Segundo as representantes, com as informações em mãos é possível buscar mais apoio e recursos para o projeto.

Outra solicitação foi quanto a Lei 13.977, conhecida como Lei Romeo Mion, referente à carteira de identificação para Pessoa com Transtorno do Espectro Autista (Ciptea), que deve ser emitida de forma gratuita. O documento assegura aos portadores de autismo os direitos já garantidos às pessoas com deficiência.

“Conheci muitas famílias e projetos sociais e sei da importância de ações humanizadas para atender esse grupo. A jornada dessas famílias é especial e precisamos cuidar de quem cuida. Vamos acolher esse projeto com muito carinho e atenção, reconhecemos a necessidade de ter uma unidade especializada em Uberaba”, enfatizou Elisa durante o encontro.

A líder do Executivo se comprometeu em estudar, junto com a equipe municipal, a melhor forma de atender às solicitações. A previsão é de que o próximo encontro, com o retorno das demandas, seja realizado no início de dezembro.

Confira outras notícias: